Mais de 2000 militares esperados em manobras afro-americanas no Faso e Mauritânia

mais de dois mil militares provenientes de 30 países africanos e ocidentais participam, de 18 de Fevereiro a 1 de Março de 2019, nas manobras militares “Flintlock de 2019”, previstas para o Burkina Faso e a Mauritânia, sob a égide das operações Especiais dos Estados unidos na África (Africom)

A informação consta no site oficial de Africom, que precisa que estas manobras se inscrevem no quadro do exercício militar anual integrado desde 2005, que visam reforçar a coordenação entre as forças na África Setentrional e Ocidental e as forças ocidentais.

As manobras militares “Flintlock” constituem as maiores manobras entre África e os Estados Unidos, e estão orientadas para o reforço das capacidades dos principais países da região (saheliana) de lutar contra as organizações extremistas violentas e os crimes terroristas, garantindo ao mesmo tempo a protecção das fronteiras.

Participam, a nível africano, a Argélia, Marrocos, a Tunísia, o Benin, o Burkina Faso, os Camarões, Cabo Verde, o Tchad, o Gana, a Guiné-Bissau, o Mali, a Mauritânia, o Níger, a Nigéria e o Senegal. Para os países ocidentais, são esperados nestas manobras a Áustria, a Bélgica, a República Checa, a Dinamarca, França, Itália, o Japão, os Países Baixos, a Noruega, a Polónia, Portugal, a Espanha, a Suíça, o Reino Unido e os Estados Unidos.