Editorial: Os outros ricos

O censo agropecuário e das pescas que o INE acaba de lançar vai permitir ao país saber o que tem na criação de animais e em criadores, onde estão, quantos são e o que fazem. Mas vai permitir também uma nova leitura sobre a pobreza, ou sobre a riqueza potencial que precisa de ser transformada em riqueza real. E é preciso educar a sociedade para que saiba que quem tem mais de cinquenta cabeças de gado não é necessariamente pobre, se vive no campo. Tem de aprender a manter o rebanho e ainda assim exercer sobre ele exploração monetária, apostando na reprodução assistida para manter o número apesar do abate regular, na exploração da pele, dos ossos, do leite e do uso de animais como força de trabalho. É que há gente rica por este país sem o saber, e a viver na maior pobreza.