Intercâmbio entre ANIM’ART e JTW de Berlim prossegue em 2020 com formação em artes cénicas

A 2ª fase de intercâmbio que teve início a 25 de Janeiro encerrou ontem, com a exibição da peça teatral intitulada “A vida é sonho”, apresentada no palco do anfiteatro do AnIM’ART, no Cazenga

Depois de ter sido concluída ontem, a 2ª fase de intercâmbio cultural entre actores da “Companhia Tic Tac” do Centro de Animação Artística do Cazenga (ANIM’ART) e da Oficina de Teatro para Jovens de Spandau de Berlim-Alemanha (JTW), a próxima acção acontece em 2020, com a formação em artes cénicas de actores angolanos naquele país germânico. Desse modo, está previsto para o mês de Maio do próximo ano, a ida dos actores angolanos à Alemanha, onde estarão em formação durante 90 dias, assim como os actores alemães poderão vir a Angola com o mesmo objectivo.

De acordo com o coordenador do ANIM’ART, Orlando Domingos, o objectivo da formação é a de proporcionar aos jovens actores a oportunidade de intercâmbio cultural, no domínio das artes cénicas bem como promover a troca de experiência entre os povos. ”Não vamos apenas trabalhar na área do teatro, como temos feito. Queremos dar oportunidades aos jovens de interagirem sobre os problemas que são da sua geração, de se expressarem, mostrar a forma como pensam e actuam, em função dos problemas que enfrentam. Em função disso, temos que procurar soluções, a partir do local onde vivem, por via do diálogo”, explicou.

II Fase do intercâmbio

A 2ª fase de intercâmbio que teve início a 25 de Janeiro encerrou ontem, com a exibição da peça teatral intitulada “A vida é sonho”. A peça com duração de 1 hora e 15 minutos, apresentada no palco do anfiteatro do ANIM’ART, contou com a participação de sete actores angolanos e seis alemães e, posteriormente, será também exibida no Elinga Teatro Segundo Orlando Domingos, além das visitas realizadas aos centros históricos e culturais os actores alemães e angolanos trabalharam na abordagem de questões de interesse mútuo, como o desenvolvimento de actividades em conjunto. ”Serão actividades em grupo, mas mais individualizadas, de modo a dar oportunidades aos jovens de realizarem os seus anseios. Estamos a falar em concreto do aprendizado da língua”, observou.

Visitas

Os actores puderam visitar ainda os compartimentos que compõem o Complexo de Escolas de Arte (CEARTE), tendo permitido o intercâmbio com os estudantes, e constatar de perto, a realidade do país. Os dois grupos mantiveram também contactos com jovens de outras companhias teatrais, de Luanda, Bengo e Cuanza-Sul, que se mostraram interessados pelos trabalhos resultantes do intercâmbio. ”Estamos a fazer um trabalho com um propósito: dar a conhecer aquilo que pretendemos em termos de evolução artística. Os dois grupos vão manter-se, e deverão ser integrados novos elementos”, anunciou.

A peça teatral

“A vida é sonho” foi adaptada do texto do dramaturgo espanhol Pedro Calderon de La Barca, do século XVII. Trata-se de uma fábula, onde um rei tirano receia deixar o trono, por pensar que o seu filho teria o mesmo comportamento. Para que o facto não ocorresse, deteve o filho numa torre. Mas, com o passar do tempo, com a idade, começou a deparar-se com questões sociais e decidiu libertar o filho, a fim de constatar a sua atitude. A referida peça foi estreiada em Setembro do ano passado, em Berlim (Alemanha), durante a realização da 1ª fase do intercâmbio.