1º de Agosto e Petro agitam capital angolana

num jogo impróprio para cardíacos, militares e petrolíferos disputam hoje no Estádio 11 de Novembro o clássico número 77 desde 1982, ano em que os petrolíferos ascenderam ao girabola

POR: Kiameso Pedro

O 1º de Agosto e o Petro de Luanda protagonizam hoje no tapete verde do 11 de Novembro um desafio com “maquilhagem” de final antecipada, tendo em vista o poderio de ambos no Girabola Zap, às 16:00. As duas equipas vão defrontarse para o acerto da oitava jornada da primeira volta do Campeonato Nacional. O desafio não realizou-se na data inicialmente marcada pela Federação Angolana de Futebol (FAF) por força do engajamento dos tricolores nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da Taça CAF. Vinte e oito títulos estão diluídos em campo, sendo 15 para os petrolíferos e 13 para os militares do Rio Seco. As duas equipas vão indiscutivelmente partir para dentro das quatro linhas com o propósito de proporcionarem o melhor para os amantes do desporto-rei.

Com os olhos postos na liderança, bem como na corrida ao título, em caso de vitória sobre o arquirrival, os tricolores estarão bem encaminhados, pois darão um salto à primeira posição com 30 pontos, relegando deste modo os militares ao segundo lugar. Mas para isso, aconselha-se à turma de Beto Bianchi o redobrar de esforços sobretudo no ataque, uma vez que o 1º de Agosto tem a defesa como a sua principal virtude. Ímpeto ofensivo sustentado com a presença de Mabululo, Nelson da Luz e Mongo, os tricolores serão claramente empurrados para as tarefas defensivas. À partida, espera-se por um desafio com desfecho imprevisível e de favoritismo repartido. Em declarações à imprensa, o técnico-adjunto do 1º de Agosto Ivo Traça, braço direito de Dragan Jovic, disse sem rodeios que a equipa do Petro de Luanda dispensa quaisquer apresentações por ser histórico e por ter um grande treinador. Mas ainda assim Ivo Traça não escondeu o desejo de vencer o desafio que pára o país.

Para Beto Bianchi, o desafio de hoje terá um sabor especial, tendo sido lacónico ao dizer que os seus pupilos tudo irão fazer para ultrapassar os rubro-negros. “É a nossa missão vencer este jogo. Temos responsabilidades com os adeptos, com a direcção e toda a família do clube”, avançou. A recuperação de Ricardo Job, depois de um curto período de lesão, é a boa nova para os adeptos petrolíferos. Nas hostes dos militares, Buá continua em dúvida para o jogo de hoje, uma vez que é esperado para o embate. Na classificação, o 1º de Agosto é líder com 30 pontos, seguido pelo Desportivo da Huíla com 28, menos um que o Petro Atlético que figura na 3ª posição com 27 pontos.