Cerca de 500 pessoas são retiradas de Barão de cocais (MG) por risco em barragem da Vale

Moradores de Barão de cocais, em Minas gerais, foram retirados das suas residências na madrugada desta Sextafeira devido a um alerta de desnível na barragem Sul Superior da mina gongo Soco, da vale, informaram a mineradora e a prefeitura do município

O alerta ocorre duas semanas após o colapso de um depósito de escória da companhia em Brumadinho, também em Minas Gerais, que deixou ao menos 157 mortos e quase 200 desaparecidos. Também nesta Sexta-feira, as sirenes foram accionadas em Itatiaiuçu (MG) por causa do risco na barragem da ArcelorMittal. Em comunicado, a Vale disse que a Agência Nacional de Mineração (ANM) “determinou a evacuação da área à jusante da barragem Sul Superior da mina Gongo Soco”.

“A Vale ressalta que a decisão é preventiva e aconteceu após a empresa de consultoria Walm negar a Declaração de Condição de Estabilidade à estrutura”, acrescentou a companhia, dizendo que a acção teve início de madrugada, abrangendo cerca de 500 pessoas nas comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteiras.

A Reuters não conseguiu contacto imediato com a Walm. “Como medida de segurança, a Vale está a intensificar as inspecções da barragem Sul Superior. Também será implantado equipamento com capacidade de detectar movimentações milimétricas na estrutura. A Vale trará consultores internacionais para fazer nova avaliação da situação no próximo Domingo”. Em nota no Facebook, a Prefeitura de Barão de Cocais disse que os moradores estavam a ser encaminhados para o Ginásio Polidesportivo da cidade, onde serão temporariamente abrigados.

A barragem Sul Superior é uma das dez barragens a montante inactivas remanescentes da Vale, e faz parte do plano de aceleração do descomissionamento anunciado no final de Janeiro pela maior produtora de minério de ferro do mundo. Conforme a Vale, a barragem suportava a produção da mina de Gongo Soco, cuja produção de minério de ferro foi paralisada em Abril de 2016.