Editorial: Os doentes e as saídas

A ministra da Saúde disse que o Governo está a trabalhar para reduzir o número de pessoas que têm de ser evacuadas para o exterior do país para tratamento médico. Muito bem, a ideia é excelente. Mas, ao anunciá-la e dizendo que se vai apostar na formação de técnicos, é precisão saber-se que as doenças não vão esperar todo esse tempo. Importante é que as pessoas sejam tratadas em Angola, melhorando os hospitais, os cuidados preventivos e, se necessário, importando médicos especialistas, uma das poucas importações de conhecimento em que vale a pena apostar, em vez de babás e chefes de sala em restaurantes ou fiéis de armazém, como tem acontecido. O próprio Estado continua a pagar demais por conhecimento que poderia encontrar cá dentro.

error: Content is protected !!