Campeões do Mundo com muletas recebem prémios de forma tardia

Os atletas da Selecção Nacional de futebol para amputados receberam os seus prémios embora de forma tardia devido à dificuldades técnicas enfrentadas pelo Comité Paralímpico Angolano (CPA), disse ontem o secretário- geral da instituição, António da Luz

POR: Kiameso Pedro

Depois da conquista inédita do Campeonato do Mundo com muletas, em Novembro do ano de 2018, os jogadores da Selecção Nacional da modalidade foram finalmente contemplados ao longo desta semana com presentes de índole simbólica, informou ontem António da Luz, secretário-geral do Comité Paralímpico Angolano (CPA). Em exclusivo a O PAÍS, o dirigente desportivo disse que o atraso no pagamento dos ordenados dos jogadores, face ao feito alcançado com a conquista do título de cariz mundial na capital do México, deveu-se a problemas de natureza técnica.

António da Luz disse igualmente a este jornal que os jogadores foram premiados com valores monetários, bem como residências, pondo deste modo termo às especulações que circulavam nas “redes sociais” e indicavam que os campeões nacionais não haviam recebido quaisquer valores por parte do CPA, depois do esforço emprestado na conquista do Mundial. “Devido aos problemas técnicos, só conseguimos pagar nesta semana os ordenados dos jogadores pelo feito alcançado no México. E vale ressaltar que não correspondem à verdade as informações que dão conta de que os atletas têm vindo a passar por dificuldades como se diz por aí nas redes sociais, propriamente Facebook”, avançou.

O Campeonato do Mundo de Futebol para amputados decorreu no México, concretamente na cidade de Guadalajara, e terminou em Novembro com a consagração do combinado nacional, depois da vitória diante da Turquia na marcação das grandes penalidades por cinco bolas a quatro, após empate a três bolas no tempo regulamentar. Para chegar a este patamar, os atletas de Augusto Baptista “Chieto” deixaram pelo caminho a Selecção Nacional do Brasil por duas bolas a uma ao prolongamento. Marcaram para as hostes da seleção angolana Heno Guilherme e José Candieiro. Celestino Elias foi eleito o melhor jogador da prova.