Carta do leitor: Marginais controlam bairro da Suave

POR: Pedro Silva
Viana/Luanda

Caro director do jornal OPAÍS, é com muito orgulho que lhe escrevo esta carta. Vivo nas imediações da Suave, na Estalagem, no município “satélite” de Viana, na província de Luanda. É também com muita tristeza que escrevo esta carta, porque estou bastante preocupado com os assaltos à “mão armada” que estão a acontecer no meu bairro, onde circular a partir das 18 horas é colocar em risco a própria vida. Ou seja, já não podemos andar pelo bairro de forma segura, porque os marginais fazem das suas, recebem telemóveis, dinheiro e outros pertences que a pessoa tem no momento. O que me espanta neste lamentável episódio é que já demos queixa ao posto de Polícia da zona, porém os agentes só garantem que vão reforçar o patrulhamento e não fazem nada. deste modo, até desconfio que os agentes da Polícia Nacional estão mais preocupados em mandar os carros que fazem táxi para conseguir uma “micha” e não manter a ordem e a tranquilidade da população. Por negligencia de quem de direito, há uma semana, uma vizinha com idade entre os 13 ou 14 anos foi brutalmente violentada por mais de três bandidos, quando vinha da igreja. depois deste caso que abalou o bairro fomos ao posto policial a pedir patrulhamento. “Vamos reforçar meus senhores, portanto podem regressar a casa”. Senhor director, eram só palavras para despachar as pessoas, porque eles não cumpriram. Por esta razão, é que decidimos escrever esta carta, de modo a que o comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, possa ter conhecimento do caos que vivemos diariamente.

error: Content is protected !!