Artes: World Press Cartoon com 900 trabalhos e 71 novos autores a concurso em 2019

O júri, reunido nas Caldas da Rainha, analisou entre Segunda e Quarta-feira, “900 caricaturas e desenhos, oriundos de 68 países”, entre os quais, sublinhou o cartoonista, “fi guram 71 novos autores”

POR: Jornal de Notícias

O World Press Cartoon, o maior certame do género realizado em Portugal, recebeu este ano 900 caricaturas e desenhos de 68 países e tem a concurso 71 novos autores, revelou hoje o júri do certame A “abertura da convocatória [para a entrega de trabalhos] mais cedo” e o facto de o certame ser, pelo segundo ano, “aberto à Internet” justificaram, segundo o organizador e presidente do júri, António Antunes, o aumento dos desenhos a concurso na edição 2019 do World Press Cartoon (WPC). O júri, reunido nas Caldas da Rainha, analisou entre Segunda e Quarta-feiras, “900 caricaturas e desenhos, oriundos de 68 países”, entre os quais, sublinhou o cartoonista, “figuram 71 novos autores”.

O presidente do Estados Unidos, Donald Trump, manteve-se como a figura mais caricaturada nesta edição em que temas como “a Síria, os refugiados e o Brexit” voltaram a marcar a presença” e que “reflecte as questões que têm enchido as televisões e os jornais”, contando, entre as novidades, com trabalhos sobre “os coletes amarelos” que protagonizaram os protestos em França. A concurso estão desenhos nas categorias de Editorial, Caricatura e Desenho de Humor – publicados entre 1 e 31 de Dezembro de 2018 em jornais e revistas de periodicidade regular e venda ao público, ou em publicações ‘online’ profissionalizadas, de reconhecida natureza jornalística. Os melhores desenhos e cartoons foram, nesta reunião de trabalho, seleccionados pelo júri que integra, além do organizador, António Antunes, ainda os cartoonistas Manuel Peres (Portugal), Maria Picassó (Espanha), Óscar Grilo (Argentina) e Cássio Loredano (Brasil).

“Um trabalho hercúleo”, disse à agência Lusa Manuel Peres, destacando “o papel do júri” na escolha dos trabalhos que marcam o certame que define como “um acontecimento universal trazido a Portugal” pela organização do evento. As caricaturas, cartoons e desenhos submetidos a concurso demonstram como “em distintas partes do mundo se vêem os mesmos fenómenos, às vezes até um fenómeno local, mas que passa [na imprensa] em todos os lugares”, sublinhou Maria Picassó. Para a catalã, a edição deste ano fica marcada por “demasiado Trump” caricaturado num mundo onde “é preciso não esquecer que há muitos mais malvados para trazer à luz”.

Os cartoons vencedores da edição 2019 vão ser conhecidos no dia 04 de Maio, numa gala este ano antecipada “para tentar captar os alunos das escolas para a exposição” que fi cará, após a entrega dos prémios, patente no Centro Cultural e de Congressos (CCC) das Caldas da Rainha. O World Press Cartoon realiza-se nas Caldas da Rainha desde 2017, ano em que o certame foi relançado após uma paragem em 2016, por falta de apoios fi nanceiros ao evento que desde entre 2005 e 2015 se realizou em Sintra.

error: Content is protected !!