Nigéria 72

Não fossem o sub-desenvolvimento e as acções terroristas, seria uma festa completa. Ainda que apenas pelo colorido das imagens que nos vão chegando, arco-íris entrecruzados, dançando, alegres. Contudo, o assunto é sério, trata-se do futuro de um país inteiro, o mais populoso do continente, uma das suas maiores economias. São 72 candidatos à Presidência da Nigéria, um número assustador, mesmo em África, onde o normal são eleições com um carnaval de candidatos, em que a grande maioria não apresenta qualquer ideia válida e realista como solução para os problemas do país que diz querer governar. Depois, claro, todos os que perdem são vítimas de fraude e todos são vítimas de perseguição, iniciando o caminho do exílio normalmente europeu, onde sustentados muitas vezes por organizações não governamentais, ou mesmo pela segurança social, montam bases de onde desferem ataques contra o país de origem. Já é mais do que hora de as eleições começarem a ser momentos de mais seriedade em África. A diversidade de opiniões é marca da democracia, a principal, mas será que eleições com tal número de candidatos representam maior democracia? Há espaço para um debate sério e sem grandes ruídos sobre o país? Bem, ao menos fica o colorido da campanha e, seguramente, muita coisa hilariante. Uma delas deve ser o boletim de votos com que os eleitores se confrontarão no Sábado, a própria lista!!!!

error: Content is protected !!