Angola quer o envolvimento do sector empresarial português

O Presidente da República, João Lourenço (na foto ao lado), reuniu-se ontem, Sexta-feira, com o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, a fim de preparar a visita do Chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, a Angola, marcada para Março próximo

O encontro, que decorreu à porta fechada na cidade alta, abordou, dentre vários assuntos, o aprofundamento das relações bilaterais, o grau de implementação dos acordos assinados durante a visita do estadista angolano a Portugal, em Novembro de 2018, e também os preparativos da visita de 3 dias a Angola que o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, fará em breve, soube OPAÍS de fontes diplomáticas. O chefe da diplomacia portuguesa, que não prestou declarações à imprensa no fim do encontro, chegou ao país na Quinta-feira, 14, e teve uma reunião com o seu homólogo angolano, Manuel Augusto.

“Estamos a três semanas desta visita, por isso me dedicarei a prepará-la. Em segundo lugar, farei o ponto de situação sobre os projectos de cooperação que temos em comum, bem como vamos passar em revista estado da cooperação”, referiu à chegada, no aeroporto internacional “4 de Fevereiro”. Já Manuel Augusto, ministro da Relações Exteriores de Angola, considera que a visita do Chefe de Estado luso ao país abre um novo ciclo nas relações entre os dois países, que se iniciou com a visita de Estado do Presidente angolano, João Lourenço às terras lusas no ano passado.

Entretanto, à margem da visita, ontem, as delegações ministeriais dos dois países analisaram a cooperação comercial, com destaque para os sectores com maior presença no país, como os da construção, da banca, exportação de produtos alimentares e bebidas. A visita do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa ocorrerá meses depois do Presidente angolano, João Lourenço, ter visitado Portugal, onde afirmou antever um “futuro promissor” e um “clima desanuviado” nas relações entre os dois países. Nesta mesma ocasião foram assinados 13 acordos de cooperação e foi anunciada a visita do seu homólogo português a Angola. Luanda quer o envolvimento do sector empresarial português na diversificação da sua economia e apoio significativo nas áreas da educação e saúde. As autoridades portuguesas garantiram a João Lourenço, o seu apoio no combate à corrupção colaborando no repatriamento de capitais angolanos ilícitos em bancos portugueses, tendo em conta a legislação vigente nos 2 países e as regras internacionais. Angola e Portugal estabeleceram relações diplomáticas a 9 de Março de 1976.

leave a reply