Juiz-presidente da Nigéria suspenso e acusado com o aproximar das eleições

Um tribunal acusou, na Sexta- feira, o suspenso juiz presidente da Nigéria por violar as regras de declaração de bens, mas adiou o seu julgamento até depois das eleições presidenciais de Sábado.

O Governo sofreu críticas e acusações de interferência no judiciário depois de o presidente Muhammadu Buhari, no mês passado, ter suspendido Walter Onnoghen, aumentando os temores de interferência nas eleições. O tribunal adiou o julgamento de Onnoghen para 11 de Março. O juiz-presidente do Tribunal da Nigéria tem uma palavra-chave na resolução de disputas eleitorais, e a suspensão de Onnoghen levou os opositores de Buhari a acusá-lo de interferir no processo eleitoral e de mostrar favoritismo regional e religioso.

A União Europeia e os Estados Unidos também expressaram preocupações. Espera-se que a votação de Sábado (hoje) seja apertada entre Buhari e Atiku Abubakar, um ex-vice-presidente. Onnoghen compareceu perante o código de conduta (CCT) pela primeira vez na Sexta-feira e declarou-se inocente de uma de seis acusações, incluindo a não revelação dos seus bens depois de se ter tornado juiz principal.

error: Content is protected !!