Oito funcionários da Vale foram presos em investigação sobre “homicídio” em Brumadinho

Oito funcionários da mineradora Vale foram presos nesta Sexta-feira devido a “fundadas razões de autoria ou participação dos investigados na prática de centenas de crimes de homicídio qualificado”, após a tragédia de Brumadinho (MG), informou o Ministério Público do Estado de Minas Gerais. Foram decretadas prisões temporárias, pelo prazo de 30 dias, de quatro gerentes da Vale, sendo dois deles executivos e outros quatro integrantes das respectivas equipas técnicas.

Conforme o Ministério Público, “todos estão directamente envolvidos na segurança e estabilidade” da barragem que colapsou a 25 de Janeiro e deixou centenas de mortos e desaparecidos.Crimes ambientais e de falsidade ideológica também estão a ser apurados, acrescentou o órgão, dizendo ainda que foram alvos de busca e apreensão, em São Paulo e Belo Horizonte, quatro funcionários (um director, um gerente e dois integrantes do corpo técnico) da auditora alemã TÜV SÜD.

Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na sede da Vale, no Rio de Janeiro. “Os documentos e provas apreendidos serão encaminhados ao Ministério Público do Estado de Minas Gerais para análise. As medidas estão amparadas em elementos concretos colhidos até ao momento nas investigações”, afirmou o órgão público em nota. O ministério contou com apoio das Polícias Civil e Militar para a operação desta Sexta-feira.

error: Content is protected !!