500 pacientes serão submetidos a cirurgia de cataratas esta semana

Quinhentos pacientes, dos mil 800 cadastrados em 2018, serão submetidas a intervenções cirúrgicas de cataratas a partir de hoje (domingo) até ao dia 23 do corrente mês, no hospital geral de Luanda, pela fundação espanhola Elena Barraquer.

A informação foi prestada em conferência de imprensa no hospital geral de Luanda, no âmbito da “campanha de erradicação da cegueira por catarata 2019”, promovida pelo Governo Provincial de Luanda.
De acordo com Helena Barraquer, responsável pela fundação, sedeada em Barcelona, a missão humanitária vai retomar as cirurgias visando reduzir casos de cegueira em Angola que considera um país irmão.
Referiu que se faz acompanhar de equipa médica altamente experiente com técnicas cirúrgicas inovadoras.
Os mais de quinhentos beneficiários das cirurgias da sessão que inicia neste domingo são parte de uma lista de espera de mais de mil 800 pessoas, desde Outubro do ano de 2018 altura que a missão encabeçada por Elena Barraquer, operou 250 pessoas em cinco dias, na mesma unidade hospitalar.
A equipe espanhola é composta por 11 elementos, entre os quais dois cirurgiões, incluindo Elena Barraquer, patrona da fundação, dois instrumentistas, dois anestesistas, um oftalmologista e quatro voluntários.
A fundação está há 13 anos num programa de cooperação internacional, tendo participado em 100 missões médicas, realizado 12 mil operações a cataratas operadas e observados 80 mil pacientes.
Esta é a quinta missão de médicos da Fundação Elena Barraquer a Angola. As duas primeiras aconteceram em 2014 e 2015, respectivamente nos hospitais Josina Machel e Oftalmológico, situados em Luanda. A terceira ocorreu em 2016, no Hospital Socomar, na província do Namibe.
Desse modo, a médica Elena Barraquer e a sua equipa totalizam quase mil cirurgias em Angola, grátis, e conta realizar as próximas missões nas províncias do Moxico e Cuando Cubango.

A Fundação Elena Barraquer propõe-se, igualmente, a oferecer bolsas de estudo a médicos angolanos na sua clínica, em Barcelona, Espanha, para combater esta patologia que pode levar a cegueira.
A expedição oftalmológica é patrocinada pela Oshen Healthcare e ABO Capital, instituições comprometidas com o desenvolvimento de serviços e infra-estruturas de cuidados de saúde nos países onde operam, em particular em Luanda, onde detêm o Centro Médico Internacional (CMI).
Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), revelam que mais de 50 por cento da população acima dos 65 anos tem cataratas. Esta patologia é ainda a causa de 48 por cento dos casos de cegueira no mundo, onde muitos países ainda não dispõem dos recursos médico-cirúrgicos para a sua remoção.