Banco russo gazprombank congela contas da petrolífera venezuelana PDVSA

O banco russo Gazprombank decidiu congelar contas da petroleira venezuelana PDVSA e suspender transacções com a companhia para reduzir o risco de que a instituição financeira seja alvo de sanções dos Estados Unidos, disse uma fonte do banco à Reuters neste Domingo.

Embora muitas empresas estrangeiras estejam a cortar a sua exposição à PDVSA desde que os EUA impuseram sanções, o facto de que um banco fortemente alinhado com o Governo russo esteja a fazer o mesmo é significativo, uma vez que o Kremlin tem sido um dos mais firmes apoiantes do Presidente venezuelano Nicolás Maduro. “As contas da PDVSA estão actualmente congeladas. Como você verá, as operações não podem ser realizadas”, disse a fonte.

O Gazprombank não respondeu a um pedido da Reuters para comentários.A Reuters publicou este mês que a PDVSA tem dito a clientes das suas joint ventures para que depositem os recursos provenientes de vendas de petróleo em contas no Gazprombank, segundo fontes e um documento interno, um movimento que procurava evitar as novas sanções dos EUA à petrolífera.

Washington disse que as sanções, impostas a 28 de Janeiro, visam bloquear o acesso de Maduro às receitas do país com petróleo após o líder da oposição Juan Guaidó se ter auto-proclamado presidente interino e recebido amplo apoio no Ocidente. O Gazprombank é o terceiro maior da Rússia em activos e tem entre os seus accionistas a empresa estatal de gás russa Gazprom.

error: Content is protected !!