Tem de ser dentro da lei

O facto de o director-geral do SME ter vindo publicamente pedir desculpas ao deputado Manuel Rabelais demonstra que quanto mais tempo passa sobre o incidente em que alguém retirou um deputado de uma aeronave em que havia embarcado para uma viagem internacional sem qualquer mandado, muita coisa vai apodrecendo nos meandros políticos e judiciários. E, para quem tem acompanhado a história, o pedido de desculpas veio da pessoa mais improvável. Dizer-se que afi nal havia informação sobre a notifi cação da PGR a um cidadão e à Assembleia Nacional antes destes dois o saberem … bem, estamos num mar nebuloso. Podemos desconfi ar que Gil Famoso entrou numa peça e desempenhou um papel que não era o seu. Assim, o Governo se descapitaliza em termos políticos. E o Estado também se descapitaliza quando a PGR divulga documentos com datas trocadas. Ou seja, um acto de hoje não pode ser documentado com data de ontem, menos ainda do ano passado, como o que aconteceu nos dois comunicados sobre dois deputados arguidos, já para não falar no resto do conteúdo dos documentos que os advogados se apressaram a desmentir. O combate à corrupção é uma ideia que seduz o povo, mas o atropelo da lei, ainda que na busca de um fi m justo, afasta o povo, os investidores e provoca relatórios nada abonatórios no estrangeiro. Depois, os danos políticos podem ser muito graves.

error: Content is protected !!