Boys don’t Cry

Há vinte anos, a banda de rock inglesa “Th e Cure” cantava que os rapazes não choram, não devem chorar, a juventude angolana, parte dela, talvez numericamente insignificante, mas altamente ruidosa, parece não ter ouvido a música daquela banda. E estou a referir-me apenas ao refrão. É o que interessa para este caso. Na verdade, dezassete meses com um novo Presidente, é absolutamente confrangedora a barulheira que alguns jovens da JMPLA e outros já do MPLA “dos adultos”, porque não tão jovens assim, fazem nas redes sociais, numa luta pública sem qualquer sentido. Há os que choram pelo passado que já não volta, há os que choram acusando e vilipendiando o tempo e o chefe do passado, a dizer que nasceram hoje, que não o conheceram, quando há pouco tempo choravam lágrimas de crocodilo e de felicidade para o defender. A esses o Sérgio Calundungo chama-lhes contorcionistas políticos. Uns choram pelo que perderam, outros para não perder. O espectáculo que fazem dá dó, traz lágrimas aos olhos, porque, infelizmente, muitos deles vão lá chegar lá, aos seus objectivos, e isto vai custar lágrimas a muitos angolanos, mas estas causadas pelo mais puro sofrimento. Todos sabemos do que se trata.