Carta do leitor: Quando o perigo “mora” em casa

POR: Ana Isabel

Caríssimos jornalistas d’o PAÍs, antes de mais agradeço o vosso jornal. Tem estado a fazer um grande trabalho. espero que continuem com este profissionalismo, porque é a sociedade e todos os angolanos que ganham com o vosso serviço público. moro no Benfica e tenho um casal vizinho que tem uma empregada há doze anos. Tinha, na verdade. Afinal, quando a família não estava em casa, a empregada recebia lá o seu filho que vinha da escola e almoçava. um dia a casa foi assaltada. A Polícia investigou e descobriu que quem deu todas as indicações da casa aos bandidos afinal era o filho da empregada. outros vizinhos foram roubados pelo jardineiro, que veio armado à noite com os seus amigos, mas ficou no exterior da casa. só que que foram apanhados pela polícia e eles disseram quem deu todas as informações sobre onde estavam as coisas. É preciso termos muito cuidado com quem pomos nas nossas casas. É preciso identificar bem os empregados, conhecer a sua família, onde moram, tudo, porque uma pessoa que você emprega, paga, trata bem, quando decide te roubar não quer saber de mais nada. Como o roubo do filho da empregada foi há pouco tempo, quero lançar o um alerta e partilhar isto no jornal com toda a gentes. não se trata de roubar arroz ou carne que quase todas as empregadas fazem, o mal é quando chegam à noite com armas e ainda te matam. devemos todos ter muito cuidado.