Uma vida difícil

Para o cidadão angolano a vida não é fácil. Nada fácil mesmo. O Estado não tem escolas suficientes e as que tem são uma desgraça. A forma como o Estado as trata é como se tivesse orgulho na mediocridade. Os colégios privados são apenas porquinhos de barro para os donos somarem dinheiro. A qualidade do ensino muitas vezes é pior que a do Estado. Um pai minimamente instruído, se fala com alguns dos nossos professores, bem, ou o filho é mandado para fora, ou cria-se uma escola em casa. O angolano vai ao hospital público e é como uma roleta russa, se não falta medicamento, faltam os meios de diagnóstico, se os tem o médico é incompetente. Há dias soube de um menino que ficou seis dias internado num hospital de Luanda, com paludismo, quando afinal o problema era apendicite. Os médicos juravam que era paludismo nem admitiam ser questionados, afinal quem sabe de medicina? A família calou-se, até alguém pagar noutro lugar. Nem adianta falar nos transportes públicos que mal existem, ou nos buracos nas ruas das nossas cidades, um orgulho nacional. É preciso ter-se muito dinheiro para se viver com alguma dignidade em Angola, até para pagar pela segurança. E se é no banco onde o dinheiro fica seguro… era. Agora até aí os funcionários clonam os cartões … é muito difícil.

leave a reply