Carta do leitor: Falta de humanismo!

Ilustre director do jornal O PAÍS, antes de mais saudações e votos de um óptimo dia de trabalho. Angola é um Estado de direito e democrático, sendo que já passou por várias transformações, mas fiquei triste com uma notícia veiculada pelo Novo Jornal na edição desta semana sobre a falta de condições nas cadeias do país para os portadores de deficiência. A reportagem daquele jornal deixou-me triste porque fiquei a saber que os portadores de deficiência partilham o mesmo espaço com os presos normais. Isto põe em perigo a intergidade física dos portadores de deficiência em vários domínios, uma vez que esses podem incluir-se em algumas tarefas, mas excluir-se noutras. Por exemplo, as casas de banho não estão adaptadas aos cadeirantes e outros cidadãos com outras deficiencias naturais ou adquiridas. Na reportagem do Novo Jornal, o que mais me chamou a atenção foi ter sabido que um jovem “cadeirante” partilha a mesma cela com presos normais, logo, os mesmos é que o ajudam nas necessidades maiores e menores. Isso é deprimente, caros responsáveis dos Serviços Prisionais de Angola! O mesmo cidadão recluso alegou ao Noveo Jornal que as condições não são das melhores, contraiu tuberculose na caideia e se não houver intervenção rápida pode acontecer o pior. Como cidadão, gostaria que os Serviços Prisionais, afectos ao Ministério do Interior, se pronunciassem publicamente. Será que as novas unidades prisionais construídas recentemente no país têm os mesmos defeitos? Penso que a falta de humanismo é grande em relação aos prisioneiros, porque, apesar de estarem na cadeia presos ou detidos, são seres humanos.

error: Content is protected !!