UNITA reafirma o seu compromisso para a consolidação da paz

Passados 63 anos desde a sua fundação, em 1966, no Muangai, na província do Moxico, celebrados ontem, a UNITA diz que os seus ideais continuam válidos e actuais, e reafirma o seu compromisso para a consolidação da paz duradoura

A afirmação é do seu porta- voz, Alcides Sakala Simões, que disse que a comemoração de mais um aniversário da fundação deste partido coincide com a preparação das exéquias fúnebres do seu presidente-fundador, Jonas Savimbi, a ser sepultado em Abril no Andulo, Bié, sua terra natal. Jonas Savimbi morreu em combate a 22 de Fevereiro de 2002, no Lucusse, também no Moxico, coincidentemente onde foi fundado este partido. Falando em conferência de imprensa, disse que a UNITA reitera a sua firme vontade de continuar a defender os seus ideais e pela defesa intransigente dos interesses dos angolanos, sem descriminação de qualquer índole. Durante a II Conferencia Nacional sobre a “Vida e Obra” de Jonas Savimbi, realizada ontem, em Luanda, informou que a direcção do seu partido declara o seu compromisso de continuar a contribuir para os esforços que visam a consolidação da paz, da unidade, da reconciliação nacional e da construção de um Estado verdadeiramente democrático e de direito.

Explicou que passado esse tempo todo, os ideais que nortearam a fundação da UNITA mantêm-se válidos e actuais, o que “constitui motivo para grande regozijo, honra e profunda reflexão sobre o seu papel e percurso histórico”. Afirmou que comemorar o 13 de Março que começou no ano de 1966 em Muanguai, sob a direcção de Jonas Savimbi, é também reconhecer e honrar os feitos de coragem e de bravura dos “conjurados da luta de libertação nacional que percorreram com Jonas Savimbi” caminhos longos e muitas vezes tortuosos para a dignificação dos angolanos.

Projecto de Muanguai

considerou o projecto de Muangai como estando actual e adaptável ao contexto de uma Angola pós-Independência carente de soluções adequadas aos problemas mais básicos que assolam a sociedade angolana. O político alega que estas carências são decorrentes da “má governação que se instalou no país há 43 anos”, reforçando que os angolanos vivem ainda momentos difíceis de frustração, angústia e desespero dos seus filhos sem que se “vislumbre no horizonte garantias de se reverter este quadro calamitoso”.

Mudanças políticas profundas

No seu discurso, Sakala disse que as esperanças dos angolanos continuam moribundas, o sonho de uma vida melhor que alimentou as energias de luta dos melhores filhos de Angola “não passou de um sonho, o bem-estar é ainda uma miragem”. Defendeu que Angola precisa urgentemente de mudanças políticas profundas para a dignificação dos angolanos.

Autarquias locais

A UNITA, disse o deputado, reitera a sua firme vontade e determinação de contribuir com todos os meios ao seu alcance para a implementação das autarquias locais em todos os municípios. Esta extensão, de acordo com o político, é em obediência aos princípios do gradualismo funcional, contribuindo para o fim das assimetrias que tem marcado profundamente a gestão do actual Executivo e abrir assim caminho para o desenvolvimento social e económico sustentado, harmonioso e equilibrado.