EUA dispostos a ajudar a recuperar fundos desviados

O secretário de Estado adjunto dos EUA,  assegurou hoje em Luanda  que o seu país está disposto a colocar o FBI e outras instituições a colaborar com o governo angolano na localização e recuperação do dinheiro e outros activos retirados ilegal e criminosamente do país.
Em declarações à imprensa, após um encontro com o Presidente da República, João Lourenço, John Sullivan afirmou que a materialização dessa intenção depende da assinatura de um acordo no domínio da justiça.
O diplomata norte-americano sublinhou que o entendimento estará alinhado com a estratégia de combate à corrupção, uma das principais “bandeiras” do mandato do Presidente João Lourenço.
Sullivan disse, entretanto ser “prematuro dizer o que será feito”, salientando que o Departamento de Justiça “vai trabalhar para ajudar Angola nesse esforço”.

Ele acrescentou que o propósito da sua visita a Angola  tem a ver  com o  estreitamento  e aprofundamento das  as “longas as relações” existentes entre os dois países e  com “o compromisso dos EUA para as parcerias estratégicas que existem com Angola”.
John Sullivan, que termina hoje a sua visita a Angola, onde se encontra desde sábado animou na tarde desta segunda-feira uma palestra com líderes empresariais e especialistas dos dois países sobre questões económicas prioritárias para os dois países, incluindo a melhoria do clima de negócios para criar condições para um maior envolvimento comercial dos EUA.
O número dois do Departamento de Estado dos EUA manteve também encontros com representantes da sociedade civil e dos direitos humanos a previa assinar com as autoridades angolanas um memorando de entendimento sobre Segurança e Ordem Pública.
John Sullivan e o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto presidiram uma sessão do Diálogo Estratégico Estados Unidos-Angola que visou apresentar a estratégia da Administração Trump para África.

error: Content is protected !!