De miúdos vulneráveis em Luanda para formadores da Escola Rural de Sacassange

O percurso de vida de um grupo de jovens que, outrora, tiveram uma vida de dificuldades em Luanda, mas que hoje, por conta da formação profissional, ajudam na formação integral de outros adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social na Escola Rural de Sacassange, no Luena, província do Moxico

Rafael Mateus, Henrique Constantino, Pedro Dumbo e Zeferino Chilema têm idades diferentes, mas partilham o mesmo percurso de vida: antes sofrida e hoje exemplo. Sem vergonha, assumem o seu passado, ostentam os benefícios da mudança e todos os dias lutam para continuarem a ser pessoas melhores.

Actualmente, os quatro jovens, cujas idades rondam entre os 18 e os 23 anos, fazem parte da lista de formadores da Escola Rural de Sacassange, cidade do Luena, instituição pública destinada à formação integral de jovens e adolescentes em estado de vulnerabilidade social.

Mas essa luz que hoje ostentam não teria brilhado caso não lhes fosse dada uma oportunidade de formação que, como consideram, mudou completamente o rumo das suas vidas. Rafael Mateus, Henrique Constantino, Pedro Dumbo e Zeferino Chilema são jovens que, num passado recente, tinham um percurso de vida ligado às drogas e delinquência nas ruas.

Provenientes de famílias desestruturadas e vulneráveis, os jovens tiveram de enfrentar serias dificuldades que, por pouco, roubavam-lhes o futuro. Porém, depois de uma vida atribulada, eles foram enquadrados, gratuitamente, na Escola Rural Cidadela Jovens de Sucesso de Cabiri, no município de Icolo-eBengo, em Luanda, onde, durante anos, receberam uma capacitação diferenciada em artes e ofícios nas mais diversas áreas, desde a agropecuária, a agricultura e a carpintaria.

Para além da componente profissional, os mesmos receberam igualmente formação académica que lhes possibilitou aumentar o seu grau escolar. No entanto, hoje, depois de terem sido formados, os jovens largaram Luanda e emigraram para a província do Moxico para darem formação à pessoas que, actualmente, enfrentam as mesmas dificuldades que eles tiveram no passado.

É na Escola Rural de Sacassange, cidade do Luena, que os mesmos ofereceram todo o seu saber para ensinar outros jovens e adolescentes, considerados em situação de risco, tais como órfãos, descendentes de famílias com dificuldades financeiras, provenientes da rua e dos telhados de zinco, toxicodependentes e outras situações de vulnerabilidade social.

Para Rafael Mateus, emigrar para uma província, onde não conhece ninguém, foi dos maiores desafios que já teve de enfrentar ao longo dos seus 23 anos de vida. Apesar da distância, o mesmo disse que a missão de formar outras pessoas, com uma história de vida igual ao seu passado, permite-lhe usufruir de uma paz interior e com o sentimento da retribuição e gratidão.

“Quando fui convidado a vir para o Moxico, confesso que, o sentimento que me veio à alma foi a distância. Mas todo esse sentimento desapareceu só de pensar que estou a retribuir o que alguém um dia fez por mim. Não há dinheiro
que pague isso, sobretudo quando a missão é educar e retirar jovens da vulnerabilidade”, notou. Por seu lado, Zeferino Chilema, considera-se privilegiado pelo facto de ter sido seleccionado para ajudar outras pessoas necessitadas a saírem da vida sofrível por via da componente formativa. Assim como ele, Zeferino acredita que outros jovens do Moxico só poderão largar a vida sofrida que enfrentam, caso haja foco e força de vontade.

“Aonde eu estive não foi fácil sair. Era um jovem muito problemático. Mas hoje estou satisfeito em saber que consegui dar a volta por cima. E é com essa missão que vou ajudar a retirar outros jovens da vida dura que enfrentam”, frisou. Já Henrique Constantino e Pedro Dumbo olham para o seu passado como ferramenta importante que pode ajudar os outros jovens a mudar de vida e enxergar o futuro com maior optimismo.

Apesar da baixa idade, 21 anos, Pedro Dumbo considera ter passado por experiências amargas e que hoje, adicionada à componente formativa, transformaram-no numa pessoa melhor, cujo exemplo tem servido de modelo para a comunidade de Sacassage de que agora faz parte. “Sem formação não há vida.

Hoje estamos aqui porque ontem abraçámos a formação que nos foi dada em Cabíri. É com esse espirito que temos vindo a conversar com outras pessoas que hoje estão por baixo. A vida é simples, basta.

Palco de realizações

É na Escola Rural de Cidadela Jovens de Sucesso de Sacassange, os formadores são tidos como exemplo e, por onde passam, recebem a admiração e o respeito da comunidade. Porém, para este ano, na referida escola, a 16 quilómetros da cidade do Luena, estão matriculados 81 alunos entre interno e externos, que serão formados em cinco especialidades, com enfoque para a agro-pecuária.

A instituição dispõe de 4 salas para a formação académica até à Sexta classe e três salas para a formação profissional que serão suportadas por um corpo de cinco formadores e sete assistentes sociais.

A escola é um projecto do Executivo angolano que está a formar pessoas de famílias carentes naquela província do Leste do país, atendendo assim às necessidades formativas de jovens e adolescentes carenciados. No âmbito da abertura do ciclo formativo de 2019, o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Jesus
Faria Maiato e o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, visitaram a instituição que, para além das salas de aulas, dispõe ainda de espaços para a plantação de hortícolas em estufas e campo aberto para o pasto de animais (cabritos, porcos, galinhas e patos.

Tem ainda espaços reservados ao cultivo de milho e mandioca e outros produtos

No final da visita, Jesus Faria Maiato disse ter gostado das condições em que se encontra a instituição que, desde que foi inaugurada, tem vindo a mudar a vida das populações de Sacassange, permitindo que jovens com necessidades formativas sejam atendidos nas mais diversas especialidades.

“Encontramos uma escola com as condições boas para continuar a formar os jovens e adolescentes a nível da província, sobretudo os daqui da cidade de Luena. Encorajamos a direcção a continuar a manter o mesmo nível de excelência na componente formativa para continuarmos a oferecer, ao mercado
de trabalho, técnicos capazes e competentes”, frisou.

Já o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, considerou a Escola Rural Cidadela Jovens de Sucesso de Sacassange como sendo um palco de realizações de sonhos de jovens que, devido a várias dificuldades sociais, não tiveram oportunidade de se formar. Assim sendo, o governante exortou aos formandos a se empenharem na formação com muita responsabilidade de forma a alavancar, dentro da sua área de formação, a província e a região do Leste, muito carente ainda em mão de obra local.

“Nós, a nível da província do Moxico, somos privilegiados por termos sido escolhidos para ter uma Escola Rural de Cidadela Jovens de Sucesso. Agora, é preciso que os formandos, as famílias e a comunidade de Sacassange tratem e cuidem deste património, que constitui uma ferramenta indispensável à formação de quadros, que vão servir não só a província bem como toda a região do Leste e até mesmo do país”, atestou.

Durante a sua estadia na província do Moxico, o ministro da Administração Publica, Trabalho e Segurança Social, Jesus Faria Maiato, aproveitou a oportunidade para visitar outras infra-estruturas ligadas ao seu ministério e procedeu ainda à reinauguração do centro de formação Agostinho Neto, na cidade do Luena que passou de 600 para 1200 formandos no presente ciclo formativo.

error: Content is protected !!