Executivo mantém aposta na expansão dos sinais de rádio

O Executivo angolano continuará a trabalhar para a expansão dos sinais de rádio e televisão às localidades afastadas, afirmou, nesta quinta-feira, o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Frederico Cardoso. Ao intervir no acto de abertura da Conferência Internacional sobre os Desafios da Comunicação Social Angolana, o governante disse que esta acção permitirá assegurar o direito do cidadão de se exprimir e de ser ouvido.
Anteviu que, com a instauração dos poderes autárquicos no país, surgirão sinergias na reforma da programação de alguns órgãos públicos, bem como da preparação da legislação sobre as rádios e televisões comunitárias.
Segundo Frederico Cardoso, o Executivo angolano quer uma imprensa cada vez mais livre no seu dever de informar, mais eficaz na realização do interesse público e mais responsável no exercício do seu trabalho.
Explicou que constitui objectivo basilar do Governo, neste domínio, contribuir para a criação de condições e um ambiente propício à plena realização das funções de informar, educar, reflectir e entreter.
Fez menção à questão da migração dos meios tradicionais para os digitais, que faz parte da agenda do Governo, e exigirá de cada um dos operadores os ajustamentos que se imponham para continuarem a ter sucesso num contexto de maior concorrência.
Acrescentou que se deve aproveitar o advento da sociedade digital para desenvolver e promover a inteligência colectiva, enquanto nação, e capitalizar as facilidades desta ferramenta para continuar a consolidar a construção de um país mais justo e inclusivo.
Por seu turno, o ministro da Comunicação Social, João Melo, disse que o sector precisa de prosseguir com o processo de mudanças e reformas, para o qual precisa das ideias e reflexões de todos, a fim de avançar de maneira consistente e sólida.
O governante reconheceu que, em quase dois anos, o sector conheceu mudanças importantes e inquestionáveis, mas precisa de dar mais saltos.
Disse tratar-se de um processo de transição que carece de uma reflexão profunda, consistente e sólida de toda a sociedade, sublinhando que o propósito da conferência é aprofundar o debate e colher ideias para prosseguir com a reforma em curso no sector.
A Conferência Internacional sobre os Desafios da Comunicação Social Angolana é Promovida pelo Ministério da Comunicação Social e conta com a participação de profissionais de Angola, Portugal, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Estados Unidos e Reino Unido.
O evento, que termina ao final da tarde de hoje, está dividido em quatro painéis: Comunicação, Democracia e Regulação; Redes Sociais Factor ou Ameaça à Democracia; Experiências Internacionais do Domínio da Imprensa Pública, e Como Fomentar a Imprensa Privada, Local e Comunitária