Angola precisa de 450 estações meteorológicas

Pelo menos 450 a 500 estações meteorológicas são necessárias para cobrir todas as localidades do país e providenciar informações climatéricas em tempo oportuno, tendo em conta a sua importância para a protecção de vidas e bens, assim como na prevenção de desastres naturais. A informação foi avançada hoje à Angop pelo director-geral do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET), Domingos do Nascimento, a propósito do Dia Mundial da Meteorologia, que se assinala neste sábado (23), sob o lema “O sol, a terra e o tempo”.
Segundo o responsável, o INAMET controla actualmente apenas 42 estações meteorológicas, número insuficiente para dar suporte ao volume de informações climatéricas necessárias para o país, dada a sua dimensão.
“(….) O INAMET possui estações meteorológicas em todas as 18 províncias, mas ainda é insuficiente para a dimensão do nosso país. Precisaríamos de aproximadamente 500 estações meteorológicas no total, sem contar com as dos parceiros”, referiu o responsável.
O director-geral do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica explicou que a instituição que dirige conta com a colaboração de cerca de 60 estações meteorológicas privadas, que têm disponibilizado informações credíveis à congénere estatal.
“Existem outros parceiros nacionais que possuem este equipamento. Portanto temos neste momento cerca de cem estações públicas e privadas no país. Queremos integrar todas numa base de dados a nível nacional, para que possam reportar para o INAMET” explicou.
O que nós precisamos, precisou, são os dados e dar apoio tecnológico, partindo do princípio de que a partilha de infra-estruturas é o melhor caminho, por permitir a redução de custos e fortificar o volume de informação, com vista a melhoria dos serviços afins.
Segundo Domingos do Nascimento, para colmatar a situação, Entretanto, realçou que o INAMET vai instalar, nos próximos tempos, novas estações meteorológicas em várias províncias do país, no âmbito do programa de reestruturação e modernização aprovado pelo Conselho de Ministros.
Adiantou que o referido prospecto contempla a aquisição de sistemas e aplicativos de televisão para a previsão do tempo, formação e treinamento ou capacitação dos técnicos dentro e fora do país, renovação de recursos humanos, entre outros aspectos.
“O programa é de três anos e tem um de consolidação. Neste momento já temos o aval do Tribunal de Contas e estamos a fazer o processo de análise e de estudo de integração de todos os equipamentos que temos à disposição” – detalhou o director-geral do INAMET.
Esclareceu que a instituição angolana está a trabalhar com a “Meteo France International” (MFI), um parceiro com competência reconhecida, a actuar há muitos anos no mundo tecnológico mais desenvolvido e que está posicionada entre as cinco melhores do mundo.
O INAMET, tutelado pelo Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, tem como missão contribuir para a protecção de vidas e de bens, assim como apoiar no desenvolvimento sustentável do país por meio de informações meteorológicas e geofísica confiável.
O Dia Mundial da Meteorologia comemora-se a 23 de Março, data da entrada em vigor do Convénio sobre a fundação da Organização Mundial da Meteorologia (OMM), instituída pela ONU, em 1950, e da qual Angola é membro desde o dia 16 de Março de 1976.
Com sede em Genebra, a OMM está presente em 189 países e trabalha na análise e previsão das variações climáticas do planeta terra, através de informações sobre a humidade do ar, temperatura, pressão atmosférica, volume da chuva, entre outros dados.

error: Content is protected !!