Carta do leitor: O silêncio de Sérgio Luther Rescova

POR: O silêncio de Sérgio Luther Rescova

Olá, caro director, é pela quarta vez que escrevo para o vosso jornal. Não quero ferir sensibilidades, mas o assunto de hoje recai para as constantes visitas de campo do novo governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova. É caso para dizer que estou agastado. No acto de investidura como governador de Luanda, em substituição de Adriano Mendes de Carvalho, indicado a assumir os destinos da província do Cuanza-Norte, Sérgio Luther Rescova, jovem identificado por ser irreverente, embora vago nas suas abordagens, dizia de peito inflamado à imprensa, que iria melhorar a vida dos luandenses, com destaque para a redução da criminalidade, bem como para a melhoria das estradas que estão há anos em avançado estado de degradação. Inquieta-me o silêncio de Rescova, verdadeiramente. Até ao momento ainda não vi algo feito por ele que me ‘empurrasse’ a aplaudi-lo, sério. Não sei. Mas sempre que chove em Luanda, a imprensa sobretudo pública preocupa-se em veicular visitas de campo de ‘Luther’ a diversas localidades. Parece jocoso, mas a nossa imprensa funciona desta maneira. Ouvi em tempos numa rádio pública que o governador de Luanda efectuara uma visita de campo aos municípios do Cazenga e Kilamba Kiaxi, onde constatara ‘in loco’ as estradas e as valas de drenagem daqueles municípios. Mas a imprensa serve para isso? Então, não fazemos notícias em Angola, só pode. Não seria mau que a maioria dos nossos jornalistas primasse mais pelo jornalismo de investigação, porque o que Rescova tem feito é dar nas vistas. Ganhar ‘fama’ nos órgãos de comunicação social. Muitos não percebem. Verdadeiramente ele não tem vontade de cumprir com o que disse no dia em que foi empossado como o ‘novo’ governador de Luanda. Já que as chuvas têm sido uma pedra no sapato de qualquer governante, era bom que um profissional de comunicação perguntasse a Rescova, em jeito de entrevista, o que ele tem a dizer sobre as chuvas que têm caído em Luanda. Na verdade, ele até responderia, só que ‘vagamente’ como nos habituou. Logo, perguntas como, quais os planos a implementar para que os relatos de mortes em consequência das chuvas possam reduzir, isto sim é o que os luandenses pretendem saber, sobretudo para aqueles que não têm sequer a oportunidade de lhe falar coisas na cara. Se isso acontecesse a imprensa seria aplaudida, indiscutivelmente. Um conselho: Não basta apenas acompanhar as visitas que ele irá fazer. Temos de ir a fundo. Será que Rescova tem-se deslocado a estas localidades onde as correntes das chuvas têm feito estragos por livre vontade? É preciso abrir o olho, até porque as suas visitas não têm tido impacto na vida dos angolanos, com realce para aqueles que vivem na capital do país. Ele tem ido a essas localidades para mostrar a JLo que está a trabalhar. Ele tem feito tudo para ganhar protagonismo na imprensa, para não cair na ‘rocha’, por forma a não ser exonerado. Ele não tem projectos e nem sensibilidade para com os luandenses. Foi apanhado em contra-pé quando lhe foi dada a ‘braçadeira’ de governador. Não seria novidade se este governador fosse o próximo a ser exonerado. Não achas?