Julgamento de homicídio do filho de Zuma sobre o acidente rodoviário de 2014 segue em frente

Duduzane, filho do ex-presidente sul-africano Jacob Zuma, será julgado por homicídio culposo num acidente de carro fatal em 2014, disse na Sexta-feira um juiz de Joanesburgo, rejeitando um pedido para arquivar o caso por falta de provas

Dirigindo um Porsche desportivo, Duduzane Zuma, 35 anos, colidiu com um táxi mini- van numa estrada perto de Sandton, em Johanesburgo, em Fevereiro de 2014, matando uma mulher e ferindo outra que mais tarde morreu no hospital. A decisão do tribunal na Sextafeira leva a um período prolongado de pré-julgamento, durante o qual advogados de defesa de Zuma tentaram impedir que o caso chegasse ao tribunal.

Duduzane inicialmente evitou a acusação depois que a Autoridade Nacional de Procuradores (NPA) decidiu, em 2015, não acusá-lo. No entanto, a NPA reverteu a sua decisão no ano passado depois que um grupo de direitos humanos ameaçou processar Zuma, em particular. “Este tribunal concluiu que há provas de que um tribunal agido razoavelmente pode condenar”, disse o magistrado Tebogo Thupaatlase. Duduzane estava presente na audiência de Sexta-feira.

Ele se declarou inocente das acusações de homicídio culposo e negligência na Terça-feira. Ele foi acusado, no ano passado, de duas acusações de homicídio culposo – o equivalente a homicídio cometido na África do Sul – e uma acusação de condução negligente no acidente. Os procuradores depois retiraram uma acusação de homicídio culposo, porque a morte da segunda mulher estava ligada a causas naturais, não ao acidente. O julgamento deve começar em Maio.

error: Content is protected !!