Maria Celestina Fernandes fala sobre literatura infantil no momento em crise económica no país

A escritora esteve presente na recém-realizada Festa Travessia das Letras em Portugal, que decorreu sob o signo “Visões de Mundos Diferentes com Idioma Igual, o Português Que Nos Une”

A escritora Maria Celestina Fernandes participou, Sábado e Domingo, na Travessia das Letras, a Primeira Festa Literária Infanto-juvenil de Língua Portuguesa. O evento foi organizado pela DOIS UM Produções, produtora luso-brasileira, em parceria com a Câmara Municipal de Oeiras e teve como palco principal o Templo da Poesia, Parque dos Poetas, em Oeiras. A festa reuniu escritores oriundos do Brasil, da Guiné- Bissau, Cabo Verde, Moçambique e de Portugal, país anfitrião.

Em conversa com OPAÍS, a escritora Maria Celestina Fernandes avançou que a sua participação na I Festa Infanto-juvenil da Língua Portuguesa surgiu a convite da Editora brasileira Kapulana, com a qual disse que teve o imenso prazer de trabalhar na reedição da obra Kalimba, assim como na I edição da obra Kambas Para Sempre, cujos direitos foram posteriormente cedidos à editora angolana Chá de Caxinde, que em Junho de 2018, o publicou para celebrar o Dia Internacional da Criança e o Dia da Criança Africana. Maria Celestina Fernande foi a única escritora representante de Angola no certame, o qual teve uma oportunidade impar de conhecer e reencontrar autores já conhecidos de outros encontros, conviver, trocar experiências numa mistura de diferentes sotaques, culturas e hábitos.

A artista deu a conhecer a sua longa experiência de escritora dedicada à literatura infanto-juvenil e a forma como este género literário é divulgado, quem a ele tem acesso e também em que estádio se apresenta sobretudo nesta fase de crise económica do país. “Partimos com grandes expectativas e estamos cientes de que do encontro colhemos uma vasta e válida gama de conhecimentos que podemos partilhar com os confrades angolanos”, disse. A escritora manifestou a sua preocupação de ver implementado o Plano Nacional de Leitura e a Rede de Bibliotecas Escolares no país, visto que só desta forma poderá contribuir eficazmente para a formação de formadores de leitores, mediadores e de futuros leitores a partir da família, da escola e da comunidade desde tenra idade.

A Festa Travessia das Letras, teve como tema “Visões de Mundos Diferentes com idioma igual, o português que nos une”. Esta primeira edição foi muito além de um projecto cultural, ao assumir o carácter de proposta educativa construída com a participação e sugestões de autores, editoras e instituições públicas e privadas que apoiam o projecto. O evento, organizado pela DOIS UM Produções, produtora luso-brasileira, em parceria com a Câmara Municipal de Oeiras, conta com o apoio do Plano Nacional de Leitura 2017– 2027 (PNL2027) e da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE).

error: Content is protected !!