I edição do Festival de Kizomba junta admiradores em Helsínquia

“Kudissanga Kwa Macamba” é a designação da I edição do Festival Internacional de Kizomba, sob a égide do angolano Carlos Camba, que vive há 9 anos na cidade de Helsínquia, a capital da República da Finlândia, que juntou pela primeira vez naquela cidade “gelada” da Escandinávia gente de vários países do mundo

Cinco é o número dos renomados professores angolanos que ganham a vida em países europeus, como é o caso de Bonifácio Aúrio e Dasmara dos Santos, Marly Baptista e Pawel Krisiak, todos baseados em Portugal, Fabrício do Zangado e Pedro SP e Aurelie Aida professores em França, Cazuza Kinvula, que veio da Suiça, Márcio Junqueira de Luxemburgo, Yolando Rangel e Josy Semkiz que vieram de Inglaterra. Entre os dias 29, 30 e 31 de Março, com mais de 18 horas de dança por dia no estilo Kizomba, os participantes pagaram 130 euros para os 3 dias e tiveram igualmente a oportunidade de assistir aos workshopes e uma palestra com Victor Hugo Mendes que falou sobre a riqueza cultural de Angola e os desafios do futuro.

Segundo Carlos Canda e Kirsi Vansol, ambos organizadores da primeira edição do Festival de Kizomba na Finlândia, os desafios foram muito grandes e todos ultrapassados, graças ao grande contributo do senhor Sven Borgers, ele que dono da Escola de Dança na cidade de Helsínquia onde Carlos Camba é um prestigiado professor de Kizomba e Semba. O evento altamente concorrido contou ainda com a participação das melhores Dj de Kizomba do mundo mas que não são angolanas como é o caso de Dj Pyro e Smart. Mas não há Kizomba sem a mestria dos Dj nacionais (Angolanos) como é Dj Nelo, Kapitula, Russeleos e Anastácia.

A Kizomba é um estilo de dança angolano que começou na década de 80 com grande desenvolvimento nos anos 90. Há mais de 15 anos que transcendeu as fronteiras angolanas e é dançado no mundo todo com festivais em todo lado com mais de duas mil pessoas e decorre no Luxemburgo e tem lugar sempre no último fim-de-semana. A República da Finlândia é um pequeno país no norte da Europa e tem uma pequena população de 5.6 milhões de habitantes. Embora não haja por lá uma embaixada angolana, estima-se que vivam naquele país europeu pouco mais de 200 angolanos.

error: Content is protected !!