Carta do leitor: As “supostas” falhas da PN

Director do O PAÍS, saudações calorosas na ressaca do Dia da PAZ em Angola, meu país com todas as letras. Agradeço ao vosso jornal por terem este espaço reservado aos leitores e demais cidadãos. Escrevo a partir do São Paulo, província de Luanda, para falar de mais uma “suposta” falha da Polícia Nacional (PN). Esta semana, um jovem foi morto a tiro por agentes da Polícia Nacional, na Rua 12 de Julho, no Sambizanga, por supostamente ser meliante. Tudo aconteceu quando os agentes perseguian, talvez, a partir do Zango 4 um grupo de meliantes. Este meteram-se em fuga e somente no Sambizanga é que eles reagiram contra os agentes com disparos. Estes, por sua vez, segundo relatos dos moradores, conseguiram neutralizar os bandidos, quatro andavam numa viatura. O jovem, morador no bairro, presume-se, estava de passagem e desarmado, de acordo com os familiares. Ainda assim, a Polícia o perseguiu, disparou no pé e depois o matou. Os familiares alegaram que não era bandido, mesmo assim não valeu. Se ele não estava armado porquê que não o detiveram e o conduziram a uma esquadra mais próxima? Os agentes da Polícia Nacional continuam a falhar. Por isso, gostaria que as chefias fossem mais responsáveis, porque são vidas que se vão. Depois, a comunicação da PN justifica o injustificável. Como ainda não aconteceu com um membro de uma alta patente da PN, por isso continuam a banalizar a situação. É demais! Sejam humanos.

error: Content is protected !!