Advogado David Mendes homenageado em Maio no Brasil

A homenagem resulta da sua dedicação na defesa dos direitos humanos das pessoas mais desfavorecidas

O advogado Manuel David Mendes, da Associação Mãos Livres, vai ser homenageado no dia 18 de Maio deste ano, na cidade de São Paulo, Brasil, pelo Instituto Latino Americano de Tradições Bantu (ILABANTU). Em nota enviada a OPAÍS, informou que a homenagem é o reconhecimento da sua luta diária pela dignidade do homem negro, explicando adiante que esta instituição tem vindo a acompanhar a sua luta pelos direitos humanos há vários anos. A David Mendes será atribuído um título de benemérito dos “Defensores dos Povos Negros e da Cultura”, cujo acto será antecedido de um Seminário Internacional sobre “O Racismo e o Desenvolvimento sobre as Culturas e Espiritualidades dos Africanos”.

No seminário, segundo a nota, serão apresentados temas como a Lideranças das Civilizações (Bantu, Yoruba, Ewe-Jeje-Fon) e Umbanda, a Celebração e Homenagem dos 100 anos do Terreiro Tumba Junsara. A cosmologia africana dos Bantu-Kongo, tradução negra, reflexões e diálogos a partir do Brasil, entre outros, que contará com prelectores brasileiros e africanos, estarão também em destaque no seminário.

Em conversa com este jornal, sobre a sua homenagem, David Mendes disse sentir-se regozijado pelo reconhecimento ao seu trabalho, mas deplorou o facto de não ser reconhecido pelas autoridades angolanas. “É fortificante esta iniciativa, mas deixa-me triste, porque no meu país não sou reconhecido como defensor dos direitos humanos”, disse, reforçando que vai continuar a sua luta em defesa dos direitos humanos dos povos negros.

Informou que para o Brasil vai levar obras literárias de renomados escritores angolanos e defensores dos povos negros, como Óscar Ribas, Agostinho Neto, Wanhenga Xitu e António Jacinto, os quais considera como tendo sido grandes defensores dos direitos humanos em Angola, através dos seus escritos. Vai levar também discos de conceituados músicos angolanos: Bonga, Rei Elias Dya Kimuezu, Mito Gaspar, Calabeto e outros que marcaram a singularidade da cultura angolana, também em defesa do homem negro. Este é o seu segundo prémio em direitos humanos, sendo que o primeiro foi o Martin Luther King dos Direitos Humanos, pela Embaixada dos Estados Unidos da América em Angola, como reconhecimento ao seu trabalho em defesa dos direitos humanos no país.

O laureado

Manuel David Mendes, de seu nome completo, nasceu no município do Cazenga, em Luanda, a 6 de Maio de 1962. É um advogado e político angolano, conhecido também como “advogado dos pobres” É actualmente director de litigação da Associação Mãos Livres, de que é cofundador, e seu antigo presidente de direcção. É deputado à Assembleia Nacional desde 2017.

error: Content is protected !!