Nigéria suspende mineração no Estado de Zamfara após surto de banditismo

A Nigéria suspendeu a mineração no Estado de Zamfara, no Noroeste do país, disseram um assessor presidencial e o chefe da Polícia, no Domingo, devido a preocupações de que mineradores ilegais estejam ligados a uma onda de banditismo

A suspensão ressalta o colapso da segurança numa parte do país onde militares, polícias e forças de segurança do Estado foram destacados nas últimas semanas para combater grupos criminosos por trás de uma onda de assassinatos e sequestros. “O Governo Federal ordenou a suspensão de todas as actividades de mineração no Estado de Zamfara, com efeito imediato”, disse o assessor presidencial Bashir Ahmed num tweet. As forças de segurança na Nigéria, que tem a maior economia de África e cuja segurança é central para a estabilidade regional, já estão ocupadas em combater uma insurreição islâmica de uma década no Nordeste e em combates entre fazendeiros e pastores sobre terras.

A Nigéria tem uma grande parte dos depósitos de minerais por explorar, incluindo ouro, estanho e zinco. Cerca de 80 por cento da mineração na Nigéria é realizada numa base artesanal e o ouro em Zamfara é rotineiramente contrabandeado ilegalmente para os vizinhos Níger e Togo. Um comunicado emitido pelo chefe de Polícia da Nigéria diz que a medida seguiu-se a relatórios de inteligência que “estabeleceram claramente um nexo forte e gritante entre as actividades de bandidos armados e mineradores ilegais”. Zamfara é o Estado mais atingido pelo aumento da violência que matou dezenas de pessoas desde o início do ano. O aumento começou no ano passado, quando estimulou a instalação da força aérea e mil operacionais de segurança no Estado.

Nas últimas semanas, foram lançadas operações conjuntas entre as agências de segurança, com foco nos Estados de Zamfara, Kaduna e Katsina, no Noroeste, bem como nos estados ocidentais de Kogi e Níger. O banditismo tem atormentado o Noroeste por anos, particularmente em torno do Estado de Zamfara e do Estado vizinho de Kaduna, embora a recente onda de sequestros e assassinatos no Noroeste tenha colocado a região sob os olhos do público. O Presidente Muhammadu Buhari, general aposentado e ex-governante militar, conseguiu um segundo mandato em Fevereiro. Diga-se que, parcialmente, fez campanha em busca do voto para melhorar a segurança.

error: Content is protected !!