Estados Unidos da América querem investir na província da Huíla

A intenção foi manifestada nesta Terça-feira, 9, pela sua embaixadora acreditada em Angola, durante um encontro que manteve com o governador Provincial da Huíla, Luís da Fonseca Nunes

POR: João Katombela, na Huíla

Nina Maria Fite, que cumpre uma agenda de trabalho de quatro dias na província, disse que durante a sua visita vai identificar os potenciais sectores em que poderão ser encaminhados os investimentos norte-americanos. “Nós estamos aqui para identificar as potenciais áreas de investimentos, a fim de que possamos comunicar aos empresários do nosso país os sectores em que estes podem direccionar os seus investimentos”, disse. A embaixadora dos Estados Unidos da América prometeu igualmente levar empresários americanos à próxima feira de negócios que a cidade do Lubango vai acolher, em Outubro, a convite do governador provincial da Huíla.

A diplomata disse ainda que o seu país vai apoiar o Governo nos seus programas de combate à seca que assola grande parte do Sul do país, com realce para a província do Cunene. As ajudas do Governo americano em Angola, particularmente na província da Huíla, inserem-se ainda no combate ao VIH/SIDA, através da parceria com o Programa “Nascer Livre Para Brilhar” de iniciativa da primeira dama da República de Angola, Ana Dias Lourenço. “No nosso programa de luta contra o HIV/SIDA, queremos também apoiar o programa da Primeira Dama da República de Angola, para que todas as mães façam o teste, porque é muito importante que elas o façam, o mais importante ainda é fazer com que a criança de mulher infectada possa nascer sem o VIH/SIDA”, disse.

Por seu turno, o governador provincial da Huíla disse que já existem alguns sectores catalogados em que os investimentos dos Estados Unidos da América poderão ser direccionados. Entre os sectores apontados por Luís da Fonseca Nunes destacam- se a formação de quadros nas diversas áreas, agricultura, com realce para a cultura do milho, feijão, soja, frutas de clima temperado, bem como a exploração de recursos naturais, sobretudo as rochas ornamentais. Na cidade do Lubango, Nina Maria Fite manteve também um encontro com os estudantes do curso de linguística inglesa do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED), onde procedeu à entrega de mais de 200 livros para potenciar a investigação científica.