MPLA afasta “compadrio e amiguismo” dos criterios para ingresso ao CC

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, disse ontem, na cidade do Lubango (Huíla), que doravante a selecção dos candidatos a membros do Comité Central (CC) do partido dos ‘camaradas’, cujo número será alargado no congresso de Junho para mais 135, será com base em princípios transparentes, afastando todas as possibilidades de qualquer espécie de “compadrio e amiguismo”.

A dirigente, durante o acto político que marcou o lançamento do processo das assembleias de balanço e renovação de mandatos, revelou que a directiva executiva Nº 1, que dá explicações sobre a realização das conferências extraordinárias, que devem decorrer até ao dia 20 de Maio, explica que as propostas dos candidatos a membros do Comité Central devem passar por um processo transparente de selecção. Sobre as candidaturas, Damião disse que devem ser aprovadas pelo comité provincial e validadas pela subcomissão nacional para o efeito.

“O número de pré-candidatos se for de dois, as estruturas devem apresentar quatro, com as suas respectivas biografias”, assegurou. O MPLA realiza a 15 de Junho do corrente ano o seu VII Congresso Extraordinário, no qual serão eleitos mais 135 membros para o Comité Central, que se juntarão aos actuais 363, fruto do alargamento desse órgão aprovado a 25 de Março deste ano pelo Bureau Político e ratificado pelo Comité Central no dia 29 do mesmo mês.

error: Content is protected !!