Presidente do CNJ defende revisão da reforma educativa

O presidente do conselho Nacional da Juventude (cNJ), João Mateus, defendeu neste Sábado, em Saurimo, a criação de uma comissão que se responsabilize pela revisão da reforma educativa e dos aspectos ligados à docência, visando a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem no país

Durante o acto central do Dia da Juventude Angolana, que hoje se assinala, João Mateus disse ser necessário proceder ao levantamento real das escolas inoperantes em todo o país e às condições que atendam ao isolamento dos professores.

Considerou fundamental alargar o número de escolas beneficiárias da meranda escolar, para garantir melhor aproveitamento das crianças, uma vez que o nível de pobreza ainda é visível e constitui factor de influência negativa para a qualidade de ensino e aprendizagem.

No domínio do empreendedorismo, emprego e formação técnico profissional, o responsável defende igualdade de oportunidades para todos, sendo que a iniciativa privada e o fomento à criatividatade devem ser protegidos pela legislação.

Sugere igualmente políticas que simplifiquem e obriguem as entidades empresariais a frequentar estágios profissionais e façam surgir nas universidades pequenas empresas que realizem actividades em vários ramos através de aplicação de tecnologias que garantam o desenvolvimento sustentável.

O acto central fi cou igualmente marcado com a implementação na Lunda-Sul do projecto “Juventude Informada, Responsável e Organizada” (JIRO), que visa munir os adolescentes e jovens com informações e habilidades que lhes permitam optar por atitudes correctas perante a sexualidade.

O projecto, segundo a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento, visa igualmente afastar os jovens dos perigos das drogas e do consumo desregrado de bebidas alcoólicas e outras práticas que condicionam o desenvolvimento intelectual e sócio-económico desta franja.

error: Content is protected !!