Angola defende melhor balança comercial com cuba

Angola defende o incremento da cooperação com cuba, focada na diversificação das exportações e substituição das importações, para a melhoria da balança comercial entre os dois países

Este posicionamento foi defendido pelo ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Frederico Cardoso, durante a 14ª reunião da Comissão Intergovernamental Angola-Cuba, que decorre em Luanda, com a parte cubana representada pelo vice-presidente do Conselho de Ministros, Ricardo Cabrisas Ruiz. Actualmente, as relações de cooperação entre os dois países circunscrevem- se a vários domínios, mormente, militar, defesa, segurança, saúde, educação, ensino superior, petróleos e indústria, com base num acordo geral de cooperação assinado em 1976. Segundo a Angop, Frederico Cardoso augura que os trabalhos da 14ª Comissão Intergovernamental inaugurem uma etapa que se caracterize por um melhor e mais consistente acompanhamento da execução física e financeira dos acordos e dos contratos assinados.

O governante angolano defende, igualmente, uma metodologia prática e eficaz para a correcção, em tempo útil, de eventuais desvios e constrangimentos existentes para a satisfação das expectativas de qualidade e de desempenho nas prestações de cada uma das partes. Na sua óptica, isso poderá descobrir, através do envolvimento de ambas partes, novas oportunidades de negócios, em que se possa cooperar com reciprocidade de vantagens, para satisfação dos respectivos governos e povos. Da parte do Executivo angola no, assegurou, Cuba pode contar com o permanente empenho no sentido da contínua consolidação das tradicionais relações de amizade e de cooperação existentes e torná-las mais fortes, capazes de garantir o desenvolvimento sustentável.

Em resposta, o vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba informou que, no quadro da actualização do seu modelo económico e social, o seu país trabalha na diversificação das importações de bens e serviços. Neste contexto, Ricardo Cabrisas Ruiz destacou a área farmacêutica, que conta com uma nova indústria de alta tecnologia e competitividade. A segunda figura na hierarquia governativa cubana defendeu ainda um trabalho conjunto e sistemático, para que se tenha uma maior presença de empresas angolanas a operar em Cuba, em sectores de interesse mútuo, no quadro das projecções do desenvolvimento económico e social a curto, médio e longo prazos.

O governante cubano disse ser desejo de Cuba colaborar com Angola nos distintos eixos do Plano de Desenvolvimento Nacional, especialmente, em educação e ensino superior, desenvolvimento dos recursos humanos, saúde, assistência e protecção social, habitação e cultura. Na ocasião, Ricardo Cabrisas Ruiz convidou os empresários angolanos a participar, em Novembro, na 37ª Edição da Feira Internacional de Havana. Actualmente, 2077 colaboradores cubanos prestam serviço em Angola, nos mais variados domínios. A reunião vai analisar, em três dias, a renegociação e assinatura do acordo de usufruto recíproco de imóveis, a revisão sectorial dos acordos de cooperação entre os dois países, a avaliação da dívida de Angola para com Cuba, o papel da agência de cooperação ANTEX, entre outros. Angola e Cuba mantêm relações político-diplomáticas históricas e

error: Content is protected !!