Coreia do Sul quer aumentar investimentos em Angola

A Coreia do Sul sugere que seja assinado um acordo de promoção e de protecção de investimentos com Angola, como condição para a entrada no mercado angolano de mais empresas como a Hyundai. A informação foi avançada nesta quinta-feira (18) pelo embaixador da coreia do Sul em Angola, no fi nal de uma audiência concedida pelo Presidente da República, João Lourenço, no Palácio da cidade Alta

O Governo sul-coreano tem intenção de aumentar o investimento em Angola e contribuir para o desenvolvimento e diversificação da economia angolana. Mas para que tal aconteça, o embaixador, Kim Dong-chan, afirmou ser necessário que se assine um acordo de promoção e protecção de investimentos entre ambos os países. De acordo com o diplomata, em declarações à imprensa no final do encontro em que apresentou os cumprimentos de fim de mandato ao Presidente da República, João Lourenço, existem várias empresas daquele país asiático que têm objectivo de investir em Angola, entre as quais destacam-se a Hyundai; a Companhia de Aço e Ferro Pohang (Posco).

Em 2017 o volume de investimento sul-coreano em Angola atingiu os 200 milhões de dólares, entretanto informações disponibilizadas pela embaixada Coreana dão conta de que este valor tem vindo a reduzir substancialmente ano após ano. Actualmente, a Daewoo, empresa que actua no segmento de fabricação de navios, é a maior empresa daquele país asiático a operar em Angola.

Embaixador despede-se vestindo as cores da bandeira de Angola

O embaixador da República da Coreia apresentou nesta Quinta-feira, os cumprimentos de fim de mandato ao Presidente da República, João Lourenço. Durante a audiência com o Chefe de Estado angolano, Kim Dongchan vestiu uma gravata com as cores da bandeira de Angola e disse ser a mesma que usou na cerimónia de tomada de posse de João Lourenço como Presidente da República. “Não vou esquecer nunca de Angola olhando para esta gravata”, afirmou. Após três anos de missão o diploma disse estar triste por deixar Angola e referiu ter envidado esforços para que a cooperação entre os dois países estivesse reforçada. “Eu fiz todos os esforços para reforçar os laços de cooperação entre os dois países”, disse, acrescentando que teria sido melhor sucedido se continuasse.