MINSA nega estar a contratar médicos reprovados

“A chamada dos profissionais aprovados no concurso público, mas ainda não enquadrados, deve-se ao aumento considerável de casos de malária e doenças diarreicas, sobretudo em crianças com menos de 5 anos de idade”, diz o ministério da saúde, contrariando afirmações do sindicato

Depois de ter sido acusado pelo Sindicato Nacional dos Médicos de Angola (SINMEA) de contratar médicos voluntários, o Ministério da Saúde (MINSA) negou, ontem, em comunicado de imprensa, estar a proceder desta maneira. No documento, o ministério mostra que não chamou os médicos reprovados no concurso público de Dezembro de 2018 para prestar serviço de voluntariado nos hospitais públicos, pelo que este apelo é apenas dirigido aos médicos aprovados e que esperam enquadramento nas unidades sanitárias.

A chamada destes profissionais deve-se ao facto de se registar um aumento considerável de casos de malária e doenças diarreicas, sobretudo em crianças com menos de 5 anos de idade. e devido a uma grande pressão assistencial nas unidades sanitárias. “Pretende-se que os médicos trabalhem em regime de voluntariado, reforcem os conhecimentos e manuseamento das doenças mais comuns no meio e prestem serviço nos Bancos de Urgência onde a pressão é maior”, lê-se no comunicado.

O serviço voluntário não terá carácter remunerado, sendo que os médicos voluntários serão apoiados apenas com o subsídio de transporte e alimentação. Portanto, conclui o documento, não correspondem à verdade as informações postas a circular, segundo as quais os médicos não aprovados no concurso público tenham sido solicitados para este serviço de voluntariado.

error: Content is protected !!