Executivo alarga estratégia Angola 2025 até 2050

A estratégia de Desenvolvimento de Longo Prazo “Angola 2025”- um documento que orienta as acções dos governos, apresentado em 2008 foi alargada para Plano de estratégia 2050, anunciou o ministro da economia e Planeamento, Pedro Luís da Fonseca

Segundo o ministro da Economia e Planeamento que falava na abertura do Iº Seminário sobre a estratégia 2050”, esta será desenvolvida ao longo dos próximos 18 meses, devendo o plano estar concluído até Setembro de 2020. Por isso, o governante quer a envolvência de todos os angolanos, desde as empresas, as famílias, Universidades e a contribuição da sociedade civil. “Queremos que a Estratégia 2050 seja transversal a todos os angolanos”, Explicou.

Além disso, ressaltou que a posta no capital humano vai continuar a ser base comum da Estratégia Angola 2050 e do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND), instrumentos de gestão do desenvolvimento do país a médio e longo prazos. De acordo com o governante as etapas iniciais de implementação da Estratégia 2025 não proporcionaram os resultados esperados devido a factores de natureza interna e externa, tendo decidido a sua revisão e extensão até 2050.

Lembrou que, desde 2008 período que a economia angolana foi afectada por dois choques petrolíferos, totalmente desconsiderados na Estratégia 2025, originados pela queda do preço do barril de petróleo no mercado internacional o que provocou consequentemente duas crises financeiras e sociais que afastaram o crescimento das metas estabelecidas na Estratégia 2025 No período 2008-2012, o PIB variou a uma taxa media anual de 3,9% . O governante avançou ainda que a Estratégia 2025 foi concebida, na componente dos efeitos sociais do intenso crescimento que propunha (cerca de 9% ao ano de variação real do Produto Interno Bruto), assumindo desta forma os compromissos espelhados nos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, cujo, cumprimento ficou na sua maior parte abaixo dos 50%. O responsável referiu ainda que outro grande factor que atrapalhou a Estratégia 2025 foi a falta de dados demográficos suficientes.

“A Estratégia 2025 foi pensada e escrita sem se poder dispor de informações básicas sobre quantos somos, como somos, onde estamos”, caracterizou. Para o governante a especialização da população é determinante para definir estratégias e políticas de unidade nacional, de defesa do território e da redução de assimetrias. Acrescentando que, os dados do Recenseamento Geral da População e Habitação realizado em 2014 vai facilitar abordagens referente ao desenvolvimento territorial, à definição de eixos territoriais de desenvolvimento. “Com as informações do Censo nada mais vai ser deixado ao acaso ou às metodologias de interpolação como foi o caso”, disse.

De forma a dar início ao processo, o Ministério da Economia e Planeamento (MEP) vai realizar um conjunto de seminários destinados a diferentes quadrantes da sociedade com vista a divulgar o Processo de Elaboração da Estratégia de Longo Prazo 2050. Participaram no primeiro seminário membros da sociedade civil e de várias organizações. Além deste encontro, está previsto ao longo do período de divulgação a realização de diversos seminários, workshops e debates que envolverão toda a sociedade, bem como a criação do site “Angola 2050” para actualização de dados sobre os progressos da estratégia e assegurar a recepção de sugestões dos cidadãos.

error: Content is protected !!