Carta do leitor: Difícil de acreditar

POR: Jorge Mago
Luanda

Caro director, eu estou um bocado aparvalhado com as notícias que circulam no nosso país sem que ninguém faça nada. As fábricas de tecido estão todas paralisadas por falta de algodão. quando ouvi isto, primeiro fiquei na dúvida, até ouvir mais duas vezes, e ler. Mas então, se um dos episódios da luta pela nossa libertação teve início na revolta da baixa de Kassanje, por causa do algodão, que os camponeses eram obrigados a produzir e a vender ao preço de quase nada pelos colonos, como é que agora que somos independentes e cada um pode vender a sua mercadoria, não temos um dos produtos que foram abundantes em Angola? Se já fomos dos maiores exportadores de algodão, numa altura em que não havia grande tecnologia, era tudo feito à mão, como é que agora, com técnica, com máquinas, com mercado, DR porque temos pelo menos três fábricas, não produzimos nada? Um colono qualquer é capaz de dizer que aqui só se trabalha a chicote. Por outro lado, mesmo que seja quase impossível bater a concorrência asiática na produção de têxtil, sempre tínhamos a matéria-prima que ainda tem valor no mercado. e até poderíamos comprar, ou estabelecer alianças com a indústria portuguesa, que estavam a perder competitividade, e juntos seríamos uma força importante no mercado internacional, no âmbito da CPLP, que tem de valer para alguma coisa. escrevo este meu desabafo, mas ainda estupefacto, não quero acreditar que este país, com tantos empresários, que até compram aviões particulares, não está a produzir algodão. Não dá para acreditar.

error: Content is protected !!