Legado musical de Ruy Mingas registado em concerto memorável

Legado musical de Ruy Mingas registado em concerto memorável

Aos 80 anos de idade, o músico Ruy Mingas foi homenageado durante um concerto que teve lugar Sábado, 27, no Centro de Conferências de Belas, em Luanda, pelo seu contributo como um dos expoentes máximos da música popular urbana angolana. Daniel Nascimento, Gari Sinedima, Toty Sa’Med, Sandra Cordeiro, Edzila, Zé Kafala, Kizua Gourgel, Carlitos Vieira Dias, os Lyrikus (Bruno Neto e Emanuel Mendes), a eles coube a honra de interpretar as composições de Ruy Mingas, naquilo que foi considerada uma viagem pela sua música e poesia. Temas como “Namoro” e “Holla Hop”, “Xyami”, “Poema da Farra” e “Morro da Maianga”, “Angola Avante”, “Nguidifangana”, “Apolo 12”, “Marimbondo”, “Meninos do Huambo”, “Muimbw wa Sabalu” entre outras, constituíram o reportório da noite apoteótica de passagem de testemunho da velha à nova geração de artistas.

Jovens e adultos formaram o conjunto de espectadores de uma sala heterogénea, em que uns ouviam pela primeira vez, ao vivo, as canções dedilhadas por Ruy Min-gas, enquanto para outros era o recordar de tempos vividos em que se lutava pela liberdade de Angola e dos angolanos, com a exaltação da sua música. Além disso, foi possível sentir-se o arrepio das pessoas quando ouviram do próprio Ruy Mingas a canção “Birim Birim”, um tema da música popular angolana musicado pelo conjunto Ngola Ritmos, sob o comando de Liceu Vieira Dias, por sinal seu tio. Com ele, Ruy Mingas aprendeu a tocar violão e como seu mentor o exigiu a que apurasse o seu ouvido para a música. Uma lição por sinal bem acatada, tal é o facto que o fez sagrar-se num dos mais respeita dos músicos da praça angolana.Sorrisos e ovações foram a tónica e o misto de sentimentos de nostalgia a que se assistia numa sala engalanada, em que se podia ver a solo ou em duo a qualidade musical e sonora de cada um dos intérpretes, que souberam dar os tons precisos para um concerto que fica registado como memorável.

Reações

Em palco, Ruy Mingas disse que o momento era marcante e único, pelo facto de ver jovens da sua terra, o sujeito principal de uma sociedade, interpretarem tão bem o seu cancioneiro, que hoje constitui um património da nação. “Cantar Ruy Migas é para mim um sonho realizado”, manifestou Dodó Miranda em tom alegre e bastante comovente. Já Daniel Nascimento expressou a sua gratidão nos seguintes termos: “Muito obrigado à Nova Energia. Muito obrigado tio Ruy, por nos inspirar e ensinar. Ver-te aqui é um sonho realizado. De salientar que de entre outros feitos, Ruy Mingas na companhia do escritor Manuel Rui Monteiro, compuseram o “Angola Avante”, o hino da República (Popular) de Angola, horas antes da proclamação da independência, a 11 de Novembro de 1975.