UNITA no Chipindo deplora péssimas condições de vida das populações

As mortes por malária, associada à falta de medicamentos no único hospital municipal, a ausência de alguns serviços sociais básicos, como água potável, energia eléctrica e comércio, são apontadas como principais preocupações da população

POR: João Katombela, na Huíla

O secretário municipal da UNITA no Chipindo, Daniel Domingos Feca, deplorou a situação por que passam os munícipes desta circunscrição e apela às autoridades para a reverterem o quadro e acabar com as assimetrias regionais. Disse ser inadmissível, em pleno Século XXI, haver pessoas de um mesmo país excluídas das atenções e acções do Governo, numa altura em que o Angola conta com mais de 40 anos de Independência e 17 do fim da guerra fratricida que durou 27 anos.

Em entrevista a OPAÍS, disse não haver motivos para que as populações do município de Chipindo continuem a viver em situação de extrema pobreza. Denunciou que diariamente morrem pessoas por malária, decorrente da falta de medicamentos no hospital municipal e nos postos de saúde comunais. “Como o senhor jornalista viu, aqui não temos energia eléctrica e nem água potável. A sede municipal só beneficia de energia eléctrica quando vem uma comissão governamental, como aconteceu na passada Terça-feira, dia 23”, denunciou Daniel Feca.

Estradas

O político da UNITA afirmou que a degradação acentuada da estrada que liga o Chipindo ao vizinho município do Cuvango, tem contribuído para o agravamento da situação sócio-económica da região potencialmente mineira. Esta situação, segundo a fonte, tem afugentado os investidores que pretendem trabalhar neste município, para criar empregos, sobretudo para a juventude.

Administrador garante melhorias

O administrador municipal do Chipindo, Hélder Lourenço, em declarações a OPAÍS, garantiu que, entre os vários problemas referenciados pelo dirigente da UNITA, alguns serão solucionados brevemente. Trata-se da reparação da estrada que liga os municípios do Chipindo e o do Cuvango, anunciada recentemente pelo governador provincial, Luís Nunes da Fonseca, aquando da sua recente visita a esta circunscrição. O responsável anunciou, também, que está em construção um edifício que vai albergar os serviços do Banco Angolano de Investimentos (BAI). Daniel Feka saúda a convivência pacífica com o MPLA.

Numa outra abordagem, o secretário municipal da UNITA no Chipindo informou que os tempos de clivagem entre militantes do seu partido e do MPLA ficaram mesmo no passado. O político, salientou que já não existe intolerância política, marcada com a queima de bandeiras das duas organizações partidárias, facto que contribui para a manutenção da paz e reconciliação nacional entre os angolanos. “Desde a governação passada, falo do antigo administrador, que notamos uma convivência pacífica entre militantes da UNITA e do MPLA, hoje, por exemplo, a UNITA já faz parte do Conselho Municipal de Auscultação das Comunidades, e isso é bom, porque Angola deve ser pensada e feita por todos” reconheceu.

error: Content is protected !!