Angola exporta 5.500 toneladas de farelo de trigo para a Europa

A fábrica do consórcio Grandes Moagens de Angola (GMA) exportou no mês de Março do ano em curso um carregamento de 5.500 toneladas de farelo de trigo peletizado a granel para França e prevê mensalmente exportar a mesma quantidade para todos os países da Europa

Segundo uma nota da empresa enviada a OPAÍS, a produção de farinha de trigo e farelo tem contribuído significativamente para a diversificação da economia nacional e nas relações comerciais com o estrangeiro, tendo, nos últimos anos, exportado também para países como Portugal, Espanha, Irlanda, Holanda, Marrocos e Mauritânia.

A nota refere ainda que desde o início das suas operações, a GMA já atingiu uma produção de cerca de 80.000 toneladas e prevê para o ano corrente uma exportação média mensal de 5.500 toneladas.

Num momento em que o país vive uma mudança de atmosfera da estratégia política e aposta na diversificação da economia, a exportação assume um papel expressivo na exposição de Angola no círculo internacional, como reforço da influência do país, factor de atracção de novos investimentos e catalisador da introdução de novos mecanismos e práticas comerciais para incremento da economia local.

Empresas do sector produtivo fazem parte deste processo de diversificação da economia, que abrirá ao país as portas para novos mercados e oportunidades de negócio a curto, médio e longo prazo O país produz farinha de trigo e farelo de trigo, essencialmente para o consumo interno, com o objectivo de apoiar produtores e indústrias que utilizam estes produtos no seu processo produtivo.

O farelo de trigo está também destinado à exportação, abrindo assim caminho para a diversificação económica, interacção comercial com traders de commodities internacionais e garantindo retornos financeiros. “Angola está em condições de se tornar um fornecedor regular de farelo para o continente Europeu”, que se traduzirá em mais uma fonte de divisas para o país, amortecendo a carência da moeda internacional no mercado nacional”, lê-se na nota

A exportação deste produto assume também contornos de necessidade operacional e económica com fraca procura no mercado nacional, o seu escoamento permite libertar a capacidade de produção e armazenamento para a farinha de trigo, bem essencial para a população nacional.

Para além do trigo, a diversificação da economia nacional passa por outros produtos afectos ao sector agrícola, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos ao terceiro trimestre do ano transacto, o país exportou nesse período 20% de produtos agrícolas.

A aposta na exportação será uma alavanca para revitalizar as empresas nacionais, contribuindo para a sua robustez e sobrevivência. Em termos económicos globais, oferece uma alternativa à tradicional dependência do petróleo e diamantes, não sustentável a longo prazo.

A exportação de farelo de trigo para a França acontece numa altura em que a GMA recebeu a certificação GMP+ da multinacional SGS, documento que garante a qualidade dos seus produtos e certifica todo o processo produtivo. Sobre a GMA A unidade fabril, implantada no terminal da Multiterminais, no Porto de Luanda, possui um volume de produção de 6.500 toneladas por mês, assegurada por uma produção diária instalada de até 930 toneladas de farinha de trigo e 270 toneladas de farelo de trigo.

A GMA prevê aumentar o seu market share (Quota de mercado) a nível internacional, ao mesmo tempo que irá consolidar de forma sustentada a sua expansão no mercado interno.

leave a reply