Arcebispo de Luanda celebra missa com os trabalhadores

Arcebispo de Luanda celebra missa com os trabalhadores

Pe. Correia Hilário

A missa, que contou com a presença de trabalhadores de diversos sectores da sua arquidiocese, concretamente os do Arcebispado, os da CEAST, os do Seminário Maior de Luanda, os das Paróquias, os das Casas de Formação e os das Escolas Católicas, surge para juntar os trabalhadores num único acto que manifesta a comunhão, a partilha, o fortalecimento da fraternidade, da irmandade, conjugando as energias para um serviço feito na beleza, na autenticidade e na verdade, segundo o arcebispo.D. Filomeno chamou a atenção de todos para olharmos a figura de São José Operário, que na sua simplicidade, humildade e honestidade trabalhou como carpinteiro, tendo ensinado a sua arte a Jesus, filho de Deus.

A missa contou com mais de 100 pessoas, entre consagrados e fiéis leigos que, no seu dia-a-dia fazem do trabalho o seu ganha-pão. O celebrante lembrou ainda aqueles trabalhadores que vivem longe dos locais de serviço mas, ainda assim, chegam pontualmente, revelando o amor e a alegria que sentem do trabalho que fazem, como se tem dito: “o trabalho dignifica o homem”.

Com o objectivo de dar um protector aos trabalhadores e um sentido cristão ao trabalho, o Papa Pio XII instituiu, em 1955, a celebração litúrgica de São José Operário, inserindo- a no calendário litúrgico, apresentando São José como Patrono dos Trabalhadores, universalmente comemorada no dia 1º de Maio.

“Nesta memória de São José se reconhece a dignidade do trabalho humano, como dever e aperfeiçoamento do homem, exercício benéfico de seu domínio sobre o mundo criado, serviço à comunidade, prolongamento da obra do Criador e como contribuição ao plano da salvação” (Missal Romano).

Sendo São José modelo perfeito dos trabalhadores, o Papa Francisco, na sua Carta Encíclica Laudato Si, escreve: “também ele nos pode ensinar a cuidar, pode motivarnos a trabalhar com generosidade e ternura para proteger este mundo que Deus nos confiou” (n. 242).

Portanto, este foi o primeiro acto celebrativo realizado aqui em Luanda, por Dom Filomeno, no dia dedicado aos trabalhadores. Já há muitos anos o prelado tem vindo a festejar com os trabalhadores, mas nas Festas do Natal. No final da missa houve um almoço de confraternização de todos os presentes.