Novo sindicato de professores é proclamado em Luanda

Um grupo de professores do ensino primário, do I e II ciclos de ensino geral, privado, proclama esta manhã, em Viana, arredores de Luanda, o Sindicato Nacional de Professores do Ensino Particular(SINPEP).

O porta-voz do grupo, Fernando Zinga Morais, explicou a OPAÍS que o objectivo é o de criar uma instituição que defenda os interesses dos professores e dos trabalhadores administrativos que labutam no ensino privado. O sindicato integra, entre outros funcionários, directores pedagógicos, coordenadores, directores e subdirectores de escolas, estes últimos desde que não sejam proprietários de estabelecimentos de ensino.

Após a sua criação, segundo Fernando Morais, o primeiro passo será encetar contactos com os responsáveis de escolas e colégios para a revisão de salários, contratos a termo, despedimentos sem justa causa, e a segurança social, sendo que a maior parte das escolas não desconta para garantir a pensão do trabalhador. O sindicato vai, também, trabalhar junto das entidades patronais para a melhoria das condições laborais, havendo um número considerável de escolas sem condições adequadas para actividade escolar.

Reiterou que a ideia é a de proteger esta classe, à semelhança da sua congénere SINPROF, embora este defenda os interesses dos professores da função pública. Informou que presentemente estão inscritos 130 professores, e admitiu que o número poderá aumentar hoje, altura em que será constituída a comissão instaladora do SINPEP. Numa primeira fase, de acordo com Fernando Morais, o sindicato funcionará em Luanda, e posteriormente expandir-se-á às outras províncias, tratando-se de um projecto de âmbito nacional.

error: Content is protected !!