Privatização de empresas públicas em angola abre brecha para outros mercados

O programa de privatizações de empresas públicas aprovado pelo governo vai impulsionar, a partir de Julho próximo, o aparecimento do mercado de acções, disse em luanda o presidente da Comissão executiva da Bolsa da dívida e valores de angola (Bodiva)

Patrício Vilares, ao apresentar o relatório e contas da Bodiva no exercício de 2018, disse que o mercado de acções vai funcionar com novos sistemas multilaterais de negociação e pós-negociação, que entrarão em funcionamento em Julho. Além da privatização das empresas públicas, o presidente da Comissão Executiva da Bodiva revelou a existência de empresas privadas que iniciaram já a preparação das suas Ofertas Públicas Iniciais.

Patrício Vilares revelou igualmente os novos sistemas multilaterais que vão permitir o início do mercado de “Repo”, ou acordos de recompra, ao abrigo dos quais um intermediário vende um título a um investidor, habitualmente a um dia, para os comprar de volta findo esse prazo. A Bodiva, constituída em Julho de 2014, tem-se limitado até à data a negociar títulos do Tesouro ou instrumentos de dívida emitidos pelo Ministério das Finanças.

A Bolsa da Dívida e Valores de Angola obteve em 2018 um resultado líquido depois de impostos de 916,83 milhões de Kwanzas (2,8 milhões de dólares), um acréscimo de 56,7% face aos 585,08 milhões de Kwanzas contabilizados em 2017.