Bispo pede maior fiscalização das verbas disponibilizadas para as calamidades

Dom Pio Hupunhati alertou para um maior controlo e “boa gestão” das verbas disponibilizadas pelo Estado para acudir a situações de calamidade.

O bispo da Igreja Católica fez estas declarações a seguir a uma audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, no Palácio do Governo do Cunene, no início da noite de Sexta-feira.

Pio Hupunhati disse não ser a primeira vez que se disponibiliza dinheiro em casos de calamidades naturais, e denunciou haver “pessoas que se alegram” quando estes fenómenos acontecem, porque, referiu, fazem uso pessoal destas verbas. “Mas muitas vezes as pessoas até se alegram quando há estas calamidades, porque é uma ocasião para fazerem compras e não tanto para socorrer pessoas com fome”, disse.

Entretanto, o bispo mostrou-se optimista depois do encontro que teve com o Presidente da República, e disse ter a certeza de que desta vez as coisas serão diferentes.

O sacerdote anunciou que a seca ainda se vai prolongar por mais tempo, cerca de um ano, concretamente. Por isso, apelou a que a ajuda seja prolongada no tempo. Na mesma ocasião, o Presidente da República recebeu em audiência o bispo da Igreja Evangélica Luterana de Angola, que disse ter reforçado, no encontro, o apelo à disponibilização de água e de comida, bem como de todos os meios necessários para acudir as pessoas que sofrem com a seca. Tomás Ndawanapo afirmou que a igreja está solidária com os projectos do Governo.

leave a reply