Transumância retira crianças da escola na localidade do Kuroca

Transumância retira crianças da escola na localidade do Kuroca

Por: João Katombela, enviado ao Namibe

Os criadores de gado da localidade do Kuroca, a 70 quilómetros da cidade de Moçâmedes, na província do Namibe, encontram-se desde o mês passado no município da Bibala, em transumância.

O pastoreio do gado no Kuroca é feito por crianças que, simultaneamente, se dedicam aos estudos. A falta de água e de capim resulta da ausência de chuvas que na localidade há já nove anos. Segundo João Manuel, muitas crianças abandonaram a escola por causa da transumância, o que pode pôr em ausa o seu o futuro, caso a situação prevaleça sem solução.

“Aqui, muitas crianças já não estudam porque não se encontram cá na localidade do Kuroca, elas encontram-se com os pais na transumância no município da Bibala, onde ainda tem um pouco de pasto” , disse. Faltam enfermeiros no Centro de Saúde Além da fome que assola os habitantes do Kuroca, a localidade enfrente outras dificuldades no
domínio da saúde, como a falta de quadros e a ausência de uma ambulância.

A localidade do Kuroca, no município do Tômbwa, província do Namibe, possui um único centro de saúde que funciona apenas com quatro enfermeiros. Este número, de acordo com a responsável administrativa do Centro de Saúde, Balbina Tchilombo, é irrisório, já que diariamente são atendidos 34 pacientes com diversas patologias, principalmente as doenças diarreicas agudas e as respiratórias. “Temos muitas dificuldades aqui no Kuroca, principalmente a falta de enfermeiros, porque nós somos apenas quatro, muitas vezes abandonamos alguns pacientes para atender questões de partos, por exemplo” , revelou.

A par da falta de recursos humanos, a responsável administrativa informou ainda que o Centro de Saúde do Kuroca não possui um laboratório de analises clinicas, tendo acrescentado que os casos que precisam de uma análise laboratorial são enviados para o Hospital Geral do Namibe. De forma a colmatar a lacuna, Balbina Tchilombo disse que são necessários mais 4 enfermeiros no centro de saúde, para o seu pleno funcionamento e garantir uma assistência médica e medicamentosa mais eficaz.