Cunene: Famílias em risco beneficiam de alimentos

Cunene: Famílias em risco beneficiam de alimentos

As quantidades de produtos que estão desde Sábado na província, provenientes da Secretaria dos Assuntos Sociais do Presidente da República, foram recebidas pela vice-governadora para o sector Político, Social e Económico no Cunene, Suraya Mateus Kalongela.

Na ocasião, Suraya Mateus Kalongela disse que este gesto de solidariedade direccionado às famílias carenciadas por não conseguirem produzir devido à falta de chuva, vai minimizar os efeitos da fome que as comunidades vivem desde Outubro de 2018.

“Os produtos recebidos estarão sob a responsabilidade do Gabinete da Acção Social, que vai iniciar a sua distribuição a partir de terça-feira às populações que estão na situação de fome nos municípios do Cuanhama, Cahama, Cuvelai, Curoca Namacunde e Ombadja”, informou. A responsável aproveitou a ocasião para apelar por mais gestos do género, por forma a mitigar a carência de alimentos das familias afectadas, garantindo assim a sua sobrevivência visto que o período actual seria de colheita, mas os campos agrícolas sem produção e os celeiros também sem reservas de massango, produto mais utilizado para o consumo, não permitiu.

Considerada como a pior seca nos últimos 30 anos na região, comprometeu a campanha agrícola na província, que previa colher 180 mil toneladas de cereais diversos, afectando assim, directamente, 175 mil famílias, um total de 880 mil pessoas, referiu.

Dados do Governo local mostram que o Cunene precisa de pelo menos 400 mil toneladas de massango, milho, massambala, feijão, sal, óleo vegetal e peixe seco para apoiar a população, sobretudo as pessoas que vivem nas zonas rurais, durante um período de um ano, até ao período de colheita em 2020, caso venha cair chuva.

Com uma extensão territorial de 75 mil 955, 61 metros quadrados, Cunene localiza-se no Sul de Angola e comporta seis municípios, vinte comunas, 51 bairros urbanos e 765 aldeias rurais. A província conta um milhão, 157 mil e 491 habitantes