Expo Malanje encerrou ontem com a venda de 70 toneladas de produtos diversos

O certame destacou a produção da mandioca e contou com a participação de representações empresariais de Portugal, Brasil, África do Sul e China, com o objectivo de atrair investimentos para a província e, com isso, promover um sector empresarial forte, capaz de contribuir para o desenvolvimento local e melhoria da vida da população.

Segundo o director provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas em Malanje, João Carlos Chipóia, a primeira edição da Expo Malanje conta com um balanço positivo, pois no evento foram comercializados um total de 70 toneladas de produtos. Segundo ele, no decurso da feira, foram realizados ciclos de conferências sobre o desenvolvimento da província de Malanje e as áreas para exploração de negócios, cuja incidência deverá recair para o sector agrícola, em função das potencialidades da região neste sentido.

João Carlos Chipóia referiu que o Governo provincial pretende continuar a realizar a Expo Malanje nos próximos anos, com melhor preparação, mais patrocinadores e apela a uma maior participação de produtores ao nível das províncias, o que não aconteceu.

“Convidamos produtores de todas as províncias do país, porém, apenas marcou presença o Uije e o Bengo, as restantes províncias fizeram-se representar com delegações institucionais”, disse.

Segundo ele, no decurso da feira, foram realizados ciclos de conferências sobre o desenvolvimento da província de Malanje e as áreas para exploração de negócios, cuja incidência deverá recair para o sector agrícola, em função das potencialidades da região neste sentido. Em sua opinião, a mandioca pode ter várias linhas de negócios tal como, a produção da fécula e outros sub-produtos. Por esse motivo, está em curso a construção de uma nova indústria, além das duas indústrias que se dedicam à produção de fuba e mais de 100 pequenas moagens ao nível da província.

“Estamos focados em criar condições para aumentar os níveis de produção da mandioca e criar outros sub-produtos. Com a inserção de uma nova unidade industrial para este propósito”, realçou. Acrescentou ainda que, depois da realização da Expo Malanje, estarão equipas a trabalhar no município de Kalandula e Cacuso para formarem empreendedores no referido ramo.

Comércio da mandioca movimenta mais de USD 4 milhões por ano

O especialista em mandioca Armando Valente disse que estudos científicos dão conta que o comércio da mandioca e dos seus derivados no mundo, movimenta anual
mente mais de USD 4 milhões, o que vem demonstrar a sua importância, apesar da cifra não ser ainda a mais desejada.

Explicou que devido à importância mundial da mandioca, desde os tempos remotos, a Rockfeller Foundation, uma organização norte-americana, prevendo na década de 60 que o mundo entraria em crise alimentar, criou nos três continentes, centros de investigação da mandioca para estudar as variedades e quantidades de produção a fim de potenciar a alimentação da população com esse tubérculo.